Meninas brincando

O dia que eu engravidei minha amiga com apenas 9 anos

2020.09.19 03:12 MoriSann O dia que eu engravidei minha amiga com apenas 9 anos

Olá Luba,editores,gatas e turma que estão a ver
Quando eu estava na 4ª série eu era muito amiga de uma garota que era da minha sala,digamos que seu nome era Raynara,ela sentava ao meu lado em outra fileira de mesas por isso conversávamos muito
A mãe de Raynara era amiga da minha falecida avózinha, e como eu ficava o dia todo com ela pq minha mãe trabalhava o dia todo a mãe de Raynara a levava a minha casa para brincarmos juntas enquanto elas conversavam..
Um dia, eu e Raynara estávamos brincando no quarto com aquelas peças grandes e coloridas de montar sabe?tipo Lego enfim.. eu estava muito empenhada em montar algo extraordinário com aquelas peças mas Raynara não parecia tão animado o quanto eu estava, ela ficava me encarando, era desconfortável. Enquanto eu montava um avião Raynara me pergunta "-Posso te dar um beijo?"
Não lembro o que exatamente eu disse mas tudo indica que eu aceitei considerado o fato de que ela me deu um beijinho no canto da minha boca, depois que ela me beijou a mãe de Raynara grita lá de fora que elas iriam ir embora agora, eu levantei o meu rosto e Raynara me deu outro beijo, dessa vez na boca, depois ela foi embora
Na aula do dia seguinte Raynara e eu fizemos dupla para fazer um trabalho de escola, eu agi normalmente já Raynara insistia em perguntar se eu lembrava o que havia acontecido ontem..
No recreio Raynara e eu nos separamos, eu gostava de jogar bola ou ficar com meu amigo no recreio. Estava tudo normal até que em algum momento ouvi pessoas comentando coisas como "Sabiam que a Raynara tá grávida?" "A Raynara vai ter um bebê!". A escola inteira estava comentando sobre a gravidez de Raynara, eu não me importei já que não era a primeira vez que as pessoas espalhavam boatos não só sobre Raynara mas também sobre qualquer um que eles quisessem tirar sarro.
O recreio acabou e eu voltei pra minha sala, Raynara estava sentada chorando em sua mesa, como eu sempre enrola e só entrava na sala depois que a professora chegasse eu só consegui ver a professora levando Raynara para a diretoria, depois de alguns minutos Raynara leva a professora e a diretora para algumas salas, ela retorna pra nossa sala agora com alguns meninos e meninas de salas e anos diferentes, a diretora fez com que todos os causadores dos boatos se desculpassem na frente da sala inteira, depois de alguns minutos vendo aquelas pessoas levando um looooongo sermão da diretora a aula continua e todos agem normalmente.
Na hora de ir embora optei em voltar por um caminho mais longo e calma, que por acaso do destino era na rua onde Raynara morava, eu a vi sentada na calçada a alguns metros da sua casa, ela parecia chateada então fui conversar com ela
-Raynara? Você tá bem? -Você vai ser o pai! -O que? -Eu sou a mãe então você tem que ser o pai -A diretora falou pra você parar de dar ideia para o que aqueles meninos falam -Mas eu estou grávida,eu sinto o bebê na minha barriga! -Isso é sério? -Sim!Aqui coloca a mão na minha barriga
Raynara pega minha mão e coloca na barriga dela. Eu podia jurar que algo se mexeu na barriga dela, talvez só era coisa da minha cabeça pois eu estava em pânico.
Eu vou ser pai? Eu vou ter barba?! Pensamentos como esses pairavam sobre minha mente enquanto Raynara falava coisas sobre comprar uma casa e usar terno e gravata
-Eu não vou ser pai -Claro que vai,eu já sou a mãe -VOCÊ QUE ME BEIJOU E CULPA É SUA!!
Depois que eu gritei percebi qua algumas pessoas olhavam pra gente e depois continuavam o que estavam fazendo, eramos apenas duas crianças gritando coisas sobre mamãe e papai na rua, na certa pensaram que estávamos brincando de casinha ou algo assim
-Eu vou contar pra minha mãe que você não quer ser o pai
Ela correu pra sua casa e eu corri pra minha com medo da mãe de Raynara aparecer na minha casa e dizer que eu teria que me casar
No dia seguinte fui pra escola e Raynara agia como se nada tivesse acontecido, nenhuma de nós tocou do assunto. Não sei o que Raynara disse pra mãe ou se ela disse alguma coisa a única coisa que sei é que nem Raynara ou sua mãe foram na minha casa novamente
Hoje estou com 15 anos e não tenho contato com a Raynara a talvez 3 anos, não sei se isso tem alguma relação com Raynara mas me assumi lésbica esse ano para minha mãe, tá sendo um pouco complicado mas quem disse que seria fácil neah? Enfim espero que tenham gostado bjus pra qm quiser 2<3
submitted by MoriSann to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.17 23:49 Le0nardowest Como um pedido de namoro terminou em tretas e lágrimas

Olá Lubisco, papelões mortos e vivo, Editores, talvez convidado e turminha linda! Como vocês estão? Hoje vou contar como um pedido de namoro deu ruim. Tudo começou no dia 1 de novembro de 2019, o amigo da minha mãe veio dormir aqui em casa (APENAS DORMIR) e eu fiquei no meu quarto sem dormir porquê estava nervoso, pois no dia seguinte ia pedir a menina em namoro. Lembrando: Nós tinhamos 10 anos. Eu fiquei assistindo LUBA na minha TV, sim! E as 6 da manhã eles acordaram e o amigo foi embora, eu pedi umas dicas pra ele e ele ajudou um pouco.
Aí minha mãe tava fazendo o almoço e eu estava vendo tv, eu tava assistindo um canal de tv fictício, que eu criei. Coloquei jornal, programas e bla bla. (Isso é irrelevante mas tudo bem) Eu me arrumei e esperei ela chegar, ela chegou, (lembrando que ela veio com as 2 vizinhas dela que também são minhas amigas e foi por essas duas que conheci minha crush, mas isso fica pra outra Turma Feira) mas chegou de PATINS. Ela SUBIU ESCADAS com essa porcaria. Ela ficava escorregando toda hora.
Chegou a hora de almoçar, almoçamos e fomos ao meu quarto. Ficamos brincando lá até que chegou o momento. Ela ficou fugindo de mim pois ela já sabia. Mesmo assim eu tentei. Ela não queria, mas mesmo assim as 2 meninas fugiram e deixaram nós dois lá. Eu perguntei e ela respondeu:
-Eu te disse que estou pensando. (Já tinha falado pra ela) Eu saquei que ela não queria e deixei pra lá. E depois voltamos a fazer nossas coisas, aí decidimos gravar um vídeo pro meu canal, mas a minha crush, (chamaremos ela de S já que o nome dela começa com S) a S tinha uma irmãzinha de 2 anos, e ela ficava infernizando a gente e não deixava a gente gravar.
Mudamos de lugar e a irmã, (a F) CONTINUAVA, a S foi e falou pra mãe dela: Cuida da F por favor. A mãe falou que não e ela teve que aguentar. A gente não conseguiu gravar então decidimos ver um filme na Ne... vc sabe.
As 2 amigas escolheram um filme e assistimos um pouco do filme. Alternavamos entre ver o filme e ficar brincando no quintal. Aí a S não aguentava mais a irmã e ficou SUPER BRAVA e começou a maltratar tudo e todos. A S foi entrar no quarto. Mas lembra que ela estava de patins? A F foi abraçar a S e ela caiu. BEM FEITO.
Ela olhou pra irmãzinha com uma cara de choro e falou: Não fala mais comigo! Assistimos uns 2 minutos do filme e o pessoal tava indo embora. Mas como a S tava brava com a F, a F foi contar pra mãe tudo o que aconteceu e a mãe olhou pra S brava, a S olhou pra mãe, e a mãe falou:
VOCÊ ESTÁ DE CASTIGO!!!
Foi aí que aquela cara de choro piorou, a S foi sentar no banco que tinha perto da porta e começou a chorar muito. As 2 meninas estavam consolando ela, e eu? Eu estava vendo o meu Insta, eu até falei:
-Aconteceu a mesma coisa comigo, minha prima fez mra e me culp...
-MAS ELA ERA A SUA PRIMA E NÃO SUA IRMÃ!!!
Eu quase falei : -Se você falar assim comigo mais uma vez, eu nunca mais falo com você! Só não falei pq não queria me ferrar.
E elas foram embora, lá em baixo as 2 meninas e a F começaram a jogar queimada, eu e a S não jogamos porquê ela tava ainda chorando e eu vendo Insta. Eles foram embora e foi assim que a minha tarde foi completamente destruída.
Edit: Recebi a notícia que a menina mudou de escola.
submitted by Le0nardowest to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.14 08:02 Anna_kiss Quase fui presa :D

Meu pai pediu silêncio na rua, pq era 20h e tava uma gritaria de criança brincando (n dava nem de ver Faustão, pow). Dois minutos desceu o "pai" da de uma menina pra meter a boca no meu pai e ainda veio a familia atrás, pra piorar a situação. O negócio começou a ficar feio e chamei a policia. Polícia veio, falei o q aconteceu e veio de novo a família falar q era mentira o q eu disse. Policial falou pra todo mundo calar a boca senão ia todo mundo preso. Pediram meus documentos. "Ah, n podemos fazer nada com essa briga", disse o policial, e foi embora.
A minha vida é muito divertida.
submitted by Anna_kiss to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 17:51 -Galactic_Cat- É extremamente difícil ser otimista quando sua vida é uma tragedia

Man, moro num bairro de periferia no interior de SP e tudo q num presta é perto de casa. A 3 quadras tem uma biqueira, no vizinho uma adolescente gravida q fica o dia todo comendo no som, o vizinho de cima usa a casa dele de deposito de reciclagem, a vizinha de baixo deixa 3 filho pequeno fazendo bagunça na rua o dia todo...Tem crescido em mim um sentimento de "anti-pobre" pq gente pouco sucedida sempre mora em periferia? eu sou parte da escoria tbm? num tem futuro em nenhum rosto q olho na rua.
No ensino medio nunca consegui namorar uma mina q gostei, agora pós ensino medio trabalho num lugar q só tem mulher é o lado ruim nisso é q todas namoram/ são casadas...Oq me deixa bolado é q as chances q ja eram poucas agr são inexistentes, n tenho vontade de sair pra cantar meninas, n tenho uma desculpa pra iniciar uma conversa.
Ademais, esses dias brincando com uma colega de trabalho ela disse "n te namoraria nem em outra vida...." minha autoestima sumiu, e pra ajudar todo lugar q chego as pessoas me encaram. Tenho um jeitão meio estranho, cabelo grande, boina, all star....sempre q uma mulher me olhar vou pensar q ta me achando estranho :/
Eu vou em psicolgo mas parece n ajudar, ela n entende oq é ter país separados, sempre ser rejeitado pelos amores, ficar ouvindo musicas repletas de putarias enquanto tenta estudar, ter o ouvido de paió quando tenta ler, voltar do trabalho sujo de farinha e passar na frente da biqueira cheia de traficante usando conjunto adidas de 300 conto...
submitted by -Galactic_Cat- to desabafos [link] [comments]


2020.09.08 21:57 Standard_Ride_9002 Tenho medo dos meus sonhos

Quero fazer um relato sobre algo q me acontece desde os meus 5/6 anos hj tenho 15. Quando era pequeno eu tive um sonho lúdico (isso qr dizer q eu conseguia controlar tudo) o sonho era assim. Eu tava na minha casa até q surgiu um estalo e eu me liguei q era um sonho então eu pensei nos meus amigos da escola e do nada eu tava na escola no Recreio brincando de pega-pega com eles, mas eu estava com medo ñ sei pq foi quando eu vi uma menina sozinha me olhando (Ñ era ninguém da minha sala) a menina olhou pra mim nisso eu fiquei com mais medo e sai correndo da escola pq algo estava errado e eu ñ sabia o q era quando eu saí da escola eu fui atropelado e acordei chorando me sentindo horrível (pelo menos foi o q meus pais falaram) Eu sempre tive ansiedade e um pequeno grau de esquizofrenia então meus pais acharam q foi por isso q eu tive aquele sonho. Esses sonhos ñ pararam, eu tenho um caderno q eu uso pra escrever esses sonhos pra ñ esquecer e ele está cheio de coisas assim. Eu sempre vejo aquela menina as vezes eu converso com ela as vezes ela só me olha de longe chamei ela de "Lost" no meu caderno. Toda vez q eu tenho um sonho desses eu acordo pensando em morrer me sentindo horrível com vontade até de vomitar e nessa quarentena eles aumentaram antes eu tinha pelo menos 1 sonho desses em 3 ou 4 meses, mas agr eles estão aparecendo com muito mais frequência e eu ñ sei oq é isso já falei pros meus pais e eles tentaram de tudo até rezaram pra mim, mas nada aconteceu e hj eu ñ dormi eu tô virado pq estou com medo dos meus sonhos. Obrigado a quem leu até aqui e me levou a sério
submitted by Standard_Ride_9002 to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 18:25 marvinpls desabafos de um LEIGO e AZARADO com iniciação científica na faculdade (parte 1?)

É textão galera, contarei algumas fofocas da minha área, do meu grupo atual de pesquisa, e da minha tristeza dentro dele. Decidi fazer esse post porque neste exato momento estou numa reunião de entrevista para novos integrantes (online), e comecei a viajar sobre a trajetória que fiz nesses 2 anos e meio de estudo.
Tenho 22 anos, atualmente no 11° período (risos), sou homem (isso será relevante depois), e faço psicologia. Nem tudo foi culpa minha, mas assumo que fiz parte do problema.
Em 2018 eu decidi entrar num grupo de pesquisa.
Era mais ou menos em agosto/ setembro, e decidi encher o saco de uma coordenadora de pesquisa no facebook sobre seu grupo na faculdade. Soube por alunos que havia bolsa, que fazer pesquisa era legal, e que poderia incrementar o currículo no futuro. Eu estava no 5° período se não me engano, e meu maior motivador eram os artigos que andava lendo na época sobre vídeo game e psicologia evolucionista (uma síntese entre psicologia, sociologia e biologia).
Depois de um mês esperando e enchendo saco, consegui uma avaliação.
Era uma avaliação simples, haviam apenas 4 perguntas e eram coisa boba sobre interesse, o que eu já havia produzido antes e yada yada. Achei estranho pois em alguns lugares entrar pra pesquisa era mais complicado, e havia entrevista também. Depois de muito tempo fui entender o porquê.
Eu posso dizer que tudo começou com a escolha do projeto de pesquisa, acho que foi aí que começou a bola de neve de problemas, a turbina em chamas do Donnie Darko, ou o momento em que Evan conheceu a Kayleigh em Efeito Borboleta.
Fui orientado à escolher um projeto de pesquisa que já estava em andamento. Haviam vários temas, desde cirurgia bariátrica, porte de arma de fogo e... vídeo game.
Vou ser bem sincero, acho que essa foi a pior escolha que fiz na vida. Vídeo game? Sério? Não tinha uma escolha mais... sei lá, interessante?
Na verdade era. Ainda acho na verdade. Não vou descreditar a área de pesquisa em vídeo games, não faz o menor sentido. Estou produzindo ainda material, e vejo que virou um assunto 'pop' ano passado com a nova adição do CID-11 de transtorno de vídeo game.
O projeto de pesquisa era testar um aplicativo de celular bastante popular que prometia um "melhoramento cognitivo", que em miúdos era tipo deixar você mais "esperto". O projeto era muito difícil, muito mais difícil que qualquer trabalho naquele grupo.
Mas difícil significa que dá pra fazer ainda, né? Não. Não dependia só de mim. Eu e meu grupo (inicialmente composto por 4 pessoas, eu e mais 3 mulheres) tínhamos que conseguir 60 pessoas que QUISESSEM jogar a porr# de um jogo de celular chato pra cacete, inicialmente durante 2 MESES, e ainda havia aplicação de testes psicométricos no começo e no final do treinamento (que demoravam 1hr e meia pra ser concluído, era exaustivo pra caralho).
O mercado de aplicativos de celular é extenso. Na verdade, existe promessa de vídeo game te deixar mais esperto desde a década de 80, com um jogo da Nintendo. Mas esse se dizia ~cientificamente confiável~, e nosso trabalho era justamente testá-lo.
Era minha primeira experiência com produção de material, e estava super animado, mas não era um trabalho só exaustivo pra pessoa. Eu tinha que achar a pessoa interessada (o que era muito difícil), marcar com ela, separar um dia com folga pra fazer os testes, muitas vezes o teste era dividido em dois, totalizando 2 semanas pra começar o treinamento. Esses testes psicométricos eram importantes para avaliar como a pessoa estava antes do treinamento.
Ela treinava por 2 MESES, dias intercalados (o que dava 1 mes jogando no celular), e tinha de ser 1 hora de jogo, que era MUITO CHATO. Sabe aqueles jogos super simples tipo memória, adivinhar uma sequência de números e tal? Então, eram vários desses. E no final, passava-se os mesmos testes do começo, que poderia demorar 2 semanas também, mas se a pessoa quisesse fazer tudo num dia, poderia.
Óbvio que deu errado. O projeto não era tão impossível de fazer, só éramos as pessoas erradas. Normalmente em projetos trabalhosos como esses, são feitos por laboratórios grandes, com um número de participantes grande também. As pessoas passam por uma triagem melhor também, com tempo de folga, e as vezes até são incentivados de uma forma ou outra... mas o nosso não, eram de amigos ou pessoas da faculdade. Alguns amigos se propuseram de fazer, mas foi enfadonho demais.
Material psicométrico é caro. Alguns nem tanto, mas alguns são bem caro. Procurem aquele teste de Rorschach, só as pranchas são quase 800 reais, visto que são importados. Os que eu usava eram R$150, eram vários cadernos que NÃO PODERIA SER RABISCADO. E rabiscaram. A culpa ficou nas minhas costas, mas felizmente não tive de pagar (eu não sei nem como iria arrumar essa grana, afinal universitário é tudo duro, pelo menos do meu círculo era).
Nesse dia foi engraçado. Estava fazendo com duas mulheres, elas pareciam até contentes com o teste, ficaram brincando sobre as questões e conversando comigo. Achei super legal por parte delas de participar de um negócio tão chato. Fiz todos os procedimentos, ressaltei a importância de não rabiscarem o caderno, e que as respostas eram anotadas numa folha separada.
Elas entenderam. Quando viro a cara pra olhar o celular, tá lá a menina marcando tudo de CANETA no caderno. Tive um treco.
Primeiro que o material era caro em si, e segundo que alguns deles não eram meus, nem da coordenadora, e sim da universidade. Ou seja, o problema era maior, porque eu teria que levar na coordenação, pagar pelo material, etc. Por sorte, a minha coordenadora aliviou pro meu lado, e disse que ela resolveria isso.
Outro caso foi com uma senhora. Todos os dias de treinamento a pessoa tinha que me enviar prints por whatsapp contendo os resultados do treino. Muito, mas muito raro as pessoas enviavam todos os dias necessários, e fazia com que 2 meses virassem 3 de tanto que as pessoas começavam a deixar de fazer, ignorar a gente, fazer menos tempo que deveria, e por aí vai...
Mas com essa senhora foi mais difícil ainda. Ela tinha dificuldade com o aplicativo, e tive de marcar vários dias na faculdade pra ensiná-la a jogar e mexer no app. Confesso que eu mesmo não manjava tanto.
Ela dizia que entendia, sabia como printar, e me enviaria. Ela até foi mais esforçada que as outras pessoas que se prontificaram, só que tinha um outro problema. Quando a pessoa não treinava direito, o app não reconhecia os resultados, e assim não dava as paradas que precisávamos computar.
Ela dizia que jogava por 1hr e não gerava resultado. Eu pedia pra que jogasse mais uns minutinhos pra ver se saía, e não vinha nada rs. Ela se dizia frustrada, tava tomando muito tempo do dia dela, e ela ficava com dor de cabeça.
Fiquei muito triste, mais ainda porque não queria fazer ela se sujeitar à isso, e também porque eu estava perdendo um tempão fazendo as pessoas me cumprirem um favor chatíssimo.
Projeto de pesquisa ruim, e agora sobre os integrantes...
Eram 4 pessoas. Duas meteram o pé 1 mês depois que eu entrei no grupo. Uma delas estava terminando a faculdade, e disse que estava muito ocupada para se envolver com grupo de pesquisa. Até hoje não sei se era verdade, mas tudo bem, cada um sabe onde o calo aperta.
A segunda menina saiu porque havia arrumado um em estágio remunerado. Fico feliz por ela, e ao mesmo tempo com inveja kkk ("inveja branca", como dizia minha mãe) queria muito ter conseguido um também. O problema é que ela era a mentora da parada, e ela tinha muitas fichas importantes sobre o projeto que ela >não deu pra gente quando saiu<. Ela vazou e ficou de mandar algumas paradas importantes, como fichas de pessoas que já haviam feito todo o treinamento. Enrolou por vários meses, e no final não entregou porque não sabia onde estava. Ou seja, parte do progresso havia sido perdido.
Restou eu e uma outra menina que era super interessada e participativa. Ela ainda está no grupo comigo hoje.
Como o texto tá grande pra caralho, vou deixar assim mesmo. Ainda tem bastante coisa pra contar, mas se calhar de uma parte 2, eu escrevo e mando aqui depois. Espero não estar enchendo o saco de vocês com um textão desse, vou repensar se continuo desabafando sobre esse problema kkk.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.09.01 03:46 Joice_SilvaS2 O dia que "perdi" minha família por causa de um brinco

Era setembro... Mentira era dezembro. Primeiro oi prazer, meu nome é meu Nick, bem-vindos a minha história.
Era dezembro, e como uma família iríamos comemorar o natal unidos na roça, na casa da minha avó. A minha mãe arrumava a casa da minha avó (sogra dela) 1 vez no mês, e a vó pagava ela 50 reais. (oq eu acho pouco pq a casa é gigante) 3 dias antes da festa minha mãe foi pra casa da vó pra arrumar e deixar pronto e eu fui junto pra ajudar. Até que minha tia chega lá e fala pra minha vó que se ela quisesse ela poderia ir com ela pro último dia na novena (para os que não sabem novena é quando um grupo da igreja se organiza e cada dia tem uma oração na casa de alguém até dar 9 dias, no último tem uma festinha, tipo isso) e a minha vó aceitou e foi, mas eu e minha mãe tava arrumando a casa e ia demorar pra acabar; então a minha mãe disse que poderia ir que quando acabassemos iríamos trancar a casa com a chave do meu pai e iríamos embora, e assim aconteceu. No outro final de semana fomos pra roça fugir um pouco do estresse da cidade, ficamos lá até de tardinha; e quando estávamos quase indo embora a minha vó chegou pra mim e pra minha mãe no cantinho e disse o seguinte: — (nome da minha mãe) depois daquele dia que vcs arrumaram a casa o meu brinco sumiu, e eu queria a satisfação de vcs. Pois é, curto e grosso, eu e minha mãe dissemos que não até pq a minha mãe não tem buraco na orelha e eu tenho alergia, começa a coçar e da umas bolinhas. A minha mãe começou a chorar e eu também, pq a minha vó estava acusando a gente de ter roubado um brinco dela, não é nem um par é um brinco, e daqueles baratinhos que vc compra por 3 reais. Depois meu pai apareceu e minha vó falou com ele e meu pai ficou pistola, começou a gritar dizendo que nunca faríamos isso e tals, e depois minha vó disse: — Não tudo bem, eu nunca mais vou pisar na casa de vcs. Ent fomos embora, mas a minha mãe ficou com isso na cabeça, ela não saia de casa não queria comer, era a depressão dela que tinha atacado, se vc ler outras histórias que eu postei dá pra ver claramente que a minha família e eu também tem vários problemas psíquicos. Mas enfim, eu fiquei preocupada e falei pro meu tivô e ele conversou com a minha mãe até pq ele criou ela, a minha avó parte de mãe mexia com drogas e morreu quando minha mãe tinha 10 anos e minha mãe foi morar com ele. Depois que o tivô cvs com ela, ela deu uma animada e hj tá tudo bem, mas só falar do assunto ela começa a chorar. O pior é que minha vó disse uma coisa diferente pra cada tia minha! São 8 tias ela falou pra uma que eu tava brincando com o brinco e perdi, falou pra outra que eu peguei o brinco pra mim, falou pra outra que a minha mãe limpou deixou cair e não achou, e assim por diante. Uma das minhas tias que mora na roça , disse que acreditava em mim, e que eu estava convidada pra ir na casa dela quando quisesse, mas eu ainda estou com medo de ser acusada de novo.
 E um dos meus primos estava lá na roça quando aconteceu isso, e hj ele tem ódio de mim, mas eu nunca fiz nada pra ele; e eu gosto tanto dele, eu amo meus primos. E de 12 primos só eu e mais duas são meninas mas elas moram na roça. Pra falar a vdd eu sou diferente de todos os meus primos, eu sou muito insegura e eles não gostam disso e na maioria das vezes me excluem E depois disso eu nunca mais pisei na roça, desde o natal de 2019 eu não vejo nenhum dos meus 12 primos. Eu sinto muita saudades 
Bom é isso, espero que tenham gostado, foi longo mas é uma baita de uma treta kkkk😂
submitted by Joice_SilvaS2 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.20 16:28 theozingamerdose SOU BABACA PORQUE QUANDO CRIANÇA BATI EM UMA MENINA PORQUE ELA ME MORDEU

Bom dia boa tarde boa noite editores gatas e turma que está a ver e o cara que tinha uma barba legal mas ele n é importante .
bom vamos la né .
quando criança eu gostava de brigar porque eu via nos desenhos [eu achava que era o ben10] então tinha um mini parquinho de areia e so se pode ir la apartir do pre 2 porque era alto e tinha umas pessoas ''problematicas'' tinha um menino que batia nos outros eu era o heroi basicamente e tinha uma menina que batia em td mundo menino menina negro branco hetero homo professora e ela tinha o pessimo abto de subir o tobogã .
apresentado os elementos que comesse a história eu estava brincando com meus amiguinhos e nisso eu fui no tobogã e a menina cai em mim não vou expor vivian heheh n é o nome dela ela cai e quando chega no fina ela morde meu braço e tira uma lapa eu fiquei fu pistola e meti uma voadora na menina e no processo cai no chão e foi areia no meu olho .
nisso a professora finalmente apareceu e brigou com a gente e eu tava preocupado com meu olho e a professora falou q não era nada porém não passou e quando fui no oftalmolo e n sei o resto eu tinha a porra de um cristal de areia e quase me cegou e a professora falou que era so areinha ent eu sou babaca ?
eu n acho pq lembra eu e a menina tinhamos 7 anos e eu n guardo rancor nenhum e depois vi que ela tinha problemas de raiva
submitted by theozingamerdose to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.18 18:24 Kusanmii_ NUNCA DEIXE AS CRIANÇAS SOZINHAS

Hola Luba,editores,turma,gatas pspsps,e todo mundo(menos 6°andar)tudo bom?
Hoje vou conta uma história que aconteceu nesse ano(antes da merda acontecer)e que eu só lembrei agora.
Contexto para vocês:a minha sala é o próprio demônio desde o primeiro ano,ninguém gosta da gente e nós não fazemos questão de gostarem,sempre aprontamos com GERAL e quando levamos bronca,acaba que todo da risada(mas acaba que a minha sala tira as melhores notas;-;vai entender) e em um certo dia,estavamos na sala que era pra ser de geografia mas ninguém apareceu para nos dar aula(é isso memo cagaram pra nossa existência)e nessas UMA HORA sem aula aconteceu muitas coisas,ent segue ai os acontecimentos:
-O baile
Minha sala resolver fazer um "baile" dentro da sala,e iamos usar somente o som do celular,maaaas,ai surgiu um guri da minha sala e disse: "eu tenho uma caixa de som" e já viu né?tava um barulho alto pra desgraça,mas não pense que fomos 100℅ irresponsáveis,tinha dois "guardas" na porta da sala vigiando pra caso alguém viesse na nossa sala iria ativar o "alerta vermelho".
-A torre
Agora foi algo que aconteceu comigo,minha amiga e os guri do fundão (eu e ela somos bem na nossa,mas os guri gostam da nossa amizade já que somos idiotas que nem eles)e ai estavamos na nossa "reunião" quando um guri disse:"e se a gente fizer uma torre de cadeira e subi?",nessa hora todo mundo se olhou e falou:"bora",pegamos as cadeiras e lá fomos nós fazer a nossa torre(que tava mais pra pirâmide),e subimos um por um e quando tava todo mundo na "torre" começamos a ter um surto e do nada começamos a rir kkkkkkk.Enquanto estavamos brisando na torre,estava acontecendo isso:Uns meninos no canto da sala brigando,outros brincando de ping pong sem bolinha e raquetes,as meninas no outro lado da sala fazendo maquiagem,outros assistindo vídeo,e tinha três guris e duas guria saindo correndo pela sala,é;-; tava um desastre kkkkk
-O "sequetro"
Um grupo de meninos foram em um garoto que estavam conversando,e ai surgiu essa conversa:
-Tu deve pra gente
-Devo nada não
-Vamo resolver as coisas no "diálogo"
Ai pegaram o guri pelo braço e arrastaram ele pra fora da sala para "finalizar" o trabalho kkkkk todo mundo tava rindo pela atuação deles e o guri gritando(e nada de chegar ninguém na minha sala)
Ai dps rolou gemidão dos meninos,música mais alta ainda,outros saindo no soco,guerra de bolinha de papel,desenhos de RoLAa na quadro,livros jogados pra fora da sala e uns brotaram na janela(a sala que estavamos fica no terceiro andar,e se vc pula o muro da escola e subi pela grade de fora das janelas da pra vc visitar todas as salas maaas tem risco de tu morre;-;)ah!também esqueci de dizer que os meninos estavam jogando avião de papel e um deles acertou o ventilador que queimou kkkk e eu e minha amiga dançando tico teco no meio da sala;-;
Do nada ouvimos...ALERMA VERMELHO!!!E todo mundo entrou em pânico,as cadeiras da torre cairam e fizeram um barulho enorme,e a gente correndo pra arruma tudo,os meninos sairam correndo pra pegar os livros,enquanto outros arrumavam as cadeiras e apagavam os desenhos no quadro (que n saiu tudo) tentamos pegar os papeis do chão mas n conseguimos pega tudo e entra a vice diretora na sala e pergunta:
-A quanto tempo estão sozinhos!!!?
Todo mundo deu uma de mudo e eu tava fingindo que tava dormindo kkk
-Estamos sozinhos a quase uma hora e meia(falou um aluno lá do fundo)
Ai a mulher surtou e ficou obsevando os estragos que fizemos na sala e dps ela xingou a gente na nossa cara mas ngm se importou pq tava todo mundo querendo rir,ai dps a professora que era pra dar aula chegou e levou bronca,e quando finalmente iamos ter aula o sinal tocou e todo mundo saiu correndo pq sabiamos que a vice diretora ia ligar pros pais de todo mundo,mas acabou que deu em nada:)
É isso gente,espero que tenham gostado,bjs<3
submitted by Kusanmii_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.17 19:57 tortilha_andante O castigo sem motivo

Olá Luba, resto de papelões, turma, Editores possível convidado (que maluca tem mas não custa tentar né). Um dia na escola como um normal até que uma professora adoece um horário antes dela vir pra nossa sala e ficamos com um horário vago(eu fiquei muito feliz em não ter aula pq eu tava bem cansado mas fiquei triste pois era a única aula boa do dia já que ela era legal) , nesse horário a turma se dividiu pela sala, uns dançando brega funk, outros cantando, eu e meus amigo mexendo no zap e escutando música no fone, outros brincando de Harry Potter e no meio da sala um menino do nada tira a roupa e um menina que vamos chamar de carls(é carls não rainara) começou a chupar o piru dele é começou a dar a bunda pra ele nisso a professora que tava ao lado ouviu a menina gemendo é levou os dois pra diretoria, mas ela queria uma testemunha e quem ela chama? Eu, eu não queria ir tava muito bem ali mas ela me chamou se eu não fosse ela iria pensar que eu estava envolvido, fui e contei cada detalhe e por eu saber muito detalhadamente oq estava acontecendo a diretora achou que eu estava tramando algo (sendo que eu só estava no meu lugar mexendo no celular), depois ela me deixou de castigo sendo que eu ia ter que fazer um relato de 100(ela não disse 10 não disse 15 não disse 20 disse 100) linhas do ano passado que no caso seria 2019 já que isso aconteceu antes da quarentena depois disso me revoltei e troquei de escola com meus amigos pq nós não vivemos um sem o outro mas q quarentena veio e agora só nós vemos por chamada. A eles dois não ficaram livre não por eles têm feito eles ficaram sem celular por dois meses e dizem que eles apanharam dos pais e essa é minha história de hoje no caso de fevereiro mas eu tô postando hoje.
submitted by tortilha_andante to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.16 22:44 Joice_SilvaS2 Verdade ou desafio não combina com depressão

Olá pessoas que convertem oxigênio em carbono
Bom... Em pleno 6° ano, aquele bando de pirralhos (coisa que eu ainda sou) decidem jogar vdd ou desafio! Ent toda educação física eles pegavam uma tesoura e giravam ela como se fosse uma garrafa msm (obs: valia beijo, e acabou que só foi desafio de beijo por causa de todas as meninas estarem carentes) Inicialmente eu não participei mas minha amiga me chamou ent tá, blz eu fui; mas como eu era santinha eu sempre escolhia vdd, mas eu não tinha nada a esconder de ngm, aí elas me obrigaram a escolher desafio e pediram preo beijar um menino. Esse menino era o valentão da sala, todas as meninas gostavam dele mas eu não sei oq elas viam ele era um babaca, vamos chamá-lo de Victor. E eu disse que não ia fazer óbvio. E ent uma menina que vamos chamar de Nicole, disse que ia pagar a prenda pra mim. (Essa menina tinha 15 anos. Ela repetiu de ano e quando se mudou pra cá ficou um ano sem estudar, ent ela era a mais velha, e pra falar a vdd a mais irresponsável) As meninas chamaram o Victor depois da educação física, bem na hr que agente vai beber água pra voltar pra sala. As meninas se esconderam e falaram prós meninos deixarem o Victor a sós com ela, e tudo foi bem;. A Nicole chegou e foi dar o beijo nele. Mas o Victor empurrou ela e começou a xingar ela, jogou água dela e saiu correndo. A Nicole ficou arrasada depois disso ela se isolou do resto do mundo, pq o Victor beijou as outras meninas, menos ela. Ela começou a se cortar e ela tinha depressão, oq não favoreceu. E as meninas continuaram brincando, eu até dei um beijo no pescoço do meu amigo. E depois disso, uns 3 dias depois, antes de começar a aula, ela ameaçou todos da sala que iria contar pra diretora que estávamos brincando, e que depois ia se matar por que não aguentava mais. E as outras meninas também começaram a surtar, elas começaram a se cortar, algumas que não estavam nos "seus melhores dias" começaram a bater nas coisas de raiva. E a professora de educação física ficou sabendo... Vocês esperam que ela colocaria agente de castigo né, até pq ela era a professora mais brava da escola, pois é... Não, ela ajudou a gente e disse que não ia contar pra ninguém, e pela primeira vez, uma professora ajudou agente enquanto estávamos errados. E a Nicole? Ela tá bem, a pedagoga chamou todas meninas que estavam se cortando na sala dela, e cvs com elas. E eu? A eu nunca estive preocupada cmg, só com as meninas.
 Estava tudo em segredo mas outra menina que tava com fogo no rabo pra beijar um menino, contou pra a amiga dela do outro 6° ano que espalhou pra todo mundo. Fim! 
submitted by Joice_SilvaS2 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.15 17:00 Surt3p Quanto deve ceder a um relacionamento?

Em 2016 eu conheci uma menina em um aplicativo de relacionamentos, (vamos chamar de Ruivinha) eu com 16 anos e ela me dizia que tinha 16 anos também e eu realmente gostei dela, ruiva, gente boa, dava atenção e engraçada. E depois de meses de conversas era fato que estávamos gostando um do outro, tanto pelas palavras quanto o tempo que dávamos um ao outro, e realmente gostei muito dela, e até que chegou um momento que os dois estavam meio 🔥 e a conversa foi realmente mudando de direção. Depois de muitas conversas e fotos +18 (ironia pq os dois eram menores mas ok kkk) estava um clima bom, e realmente queria a conhecer pessoalmente e tudo mais mas ela sempre dizia que a família era muito fechada e não a permitia sair, mas ela me atentava e mesmo assim tentávamos sair ou de um jeito se encontrar. E eu ocupado com curso Tecnico e colégio fui me afastando aos poucos para focar nos estudos, mas mesmo assim querendo realmente conhecer ela porque gostava. Até que um dia meio que tudo ficou confuso, quando ela mandou umas fotos repetidas +18 e com legenda diferente e tipo nem fazia sentido ela ter mandado aquilo para mim naquela hora. E então descobri que ela realmente tava meio brincando comigo e mais uns 5, e então descobri no mesmo dia que ela tinha 13 anos e iria fazer 14 e eu fiquei realmente confuso e preocupado (e não ela não tinha feição tão jovem e corpo de menina nova, e todas as redes sociais estavam mais velha e até por ligação a voz e vídeo o jeito dava a entender que era mais velha mesmo) e fiz umas das coisas que mais me arrependi na vida porque fiquei com ciúmes e com raiva, criei um Google drive do 0 upei as fotos dela e mandei com um link para a avó e a mãe dela falando o seguinte: “Eu gosto muito dela, nossas idades são diferentes e nada impede de no futuro realmente termos uma coisa séria com mais maturidade, mas eu realmente quero que vocês deem atenção porque ela está se expondo muito na internet e isso pode vazar e conhecendo bem sei que isso pode acabar mal.” A mãe dela me xingou e falou que eu era um cuzao a vó dela me pediu perdão não sei porque, e ficou preocupada e a menina me xingou muiiiito mas muito e no final tudo se acalmou. Passou se uns anos e ela me chamou de novo em meados do final de 2017 e eu tinha terminado o ensino médio e um relacionamento que tive também e eu e a Ruivinha viramos amigos realmente, ela tem muitos problemas psicológicos e eu sempre ajudei como amigo e tudo mais e realmente curtia a amizade nossa, até mesmo que nossas idades era meio diferentes mas ela me respeitava muito e o que tinha acontecido ficou para trás e virou uma amizade tranquila. Mas no final do ano de 2019 mudou muita coisa, ela tava com 16 anos e eu com 19 e ela deu muita moral, e eu me interessei por ela, tínhamos todos mudado muito e eu imaginei que estávamos mais maduros, e um belo dia ela me chamou para comprar material junto com ela, e eu fui na casa dela, conheci os avós que me amam até hoje e mandam figurinha todos os dias kkkkk, a mãe dela também que surpreendentemente gostou muito de mim, e foi um primeiro encontro totalmente diferente mas eu gostei da pessoa que eu encontrei, ela realmente tinha mudado muita coisa, e foi indo assim por vários finais de semana consecutivos, e estávamos em um relacionamento sem nada oficializado, eu conheci toda a família ajudava em o que era preciso, e gostava de estar inserido na família mas umas coisas do relacionamento me deixavam meio intrigado, tipo pela internet ela era muiito 🔥 e juntos ela era outra pessoa, ou o fato dela não gostar muito de beijos e também ter preguiça para qualquer coisa que envolva sair, não demonstrar afeto, ser meio seca as vezes e não termos muitos momentos casal, mas foi isso por 4 meses até o início da quarentena e nós brigarmos por um motivo fútil, estava a 2 anos desempregado apenas fazendo uns bicos, e eu fui contratado em um emprego booom, e eu fiquei feliz com isso que estava lutando a tempos e eu chamei ela para vir em casa comemorar cmg, comer uma pizza com minha família e tudo mais, e depois ver um filme a sós, um momento nosso, e ela me disse a seguinte frase “você só pensa em me comer” “só quer sexo” e eu sem entender nada, ouvi muiita merda (detalhe nunca tínhamos transado antes e eu sou super delicado com esse assunto até por nunca ter acontecido) até aquela história das fotos foi revivida e eu me explodi, cansei disso e terminei com raiva pq ela não sabia o que tava acontecendo comigo depois desse tempo todo saindo da depressão e ter conseguido arrumar um emprego e na hora de comemorar ela me dizer isso. Me magoou muito isso e até hoje não me desce, mas no outro dia parei para pensar e queria conversar disse que não queria terminar realmente mas queria que ela entendesse meu lado, e ela surtou que um dia eu termino no outro quero voltar, não voltamos mas ficou um clima de romance voltando, era apenas se encontrar que rolava algo, mas depois foi meses sem poder ver ela, sem ligação, momentos instável no relacionamento eu querendo ver ela mas nunca era possível e a desculpa de quarentena para mim e churrasco em família todos os finais de semana, mas eu tava conseguindo fazer ela vir em casa no meu aniversário pq realmente estava com sdds dela e é uma data bem especial, (minha família fez o teste para umas coisas e para que eu pudesse ir buscar ela no meu aniversário “dia que estou escrevendo que foi por água a abaixo qualquer animo para esse dia”) e uma semana antes do meu aniversário eu tentando reconquistar ela todos os dias, sendo quem sou e tentando ser bom para ela (muitas vezes fodendo com meu psicológico) e eu descubro que sou um brinquedo que ela usava para destrair e que não era nada mais e que mesmo ela dizendo uma coisa ela tava sentindo outra, e que eu tudo que eu tava fazendo por uma história de 4 anos foi em vão. Brigamos feio e depois que eu desisti de tudo e falei o que realmente tava sentindo e fiz ela se achar um monstro só mostrando coisas que ela fazia e nem se tocava disso, tem indiretas até hoje, eu surpreendentemente estou bem, tenho muitas saudades dos momentos bons mas prefiro meu bem estar mental.
submitted by Surt3p to desabafos [link] [comments]


2020.08.15 13:58 aligachabr hemofobia é fogo

olá luba, editores,gatas,papelões e turma que está a ver, bem eu tenho uma fobia que se chama hemofobia ou hematofobia,ela é fobia de sangue e mesmo parecendo bobo, não é bobo,bem essa situação foi jogada nas minhas costas nos meus 5 anos e sempre está aqui comigo,vou contar 2 historias
primeira historia: bem eu tinha 5 anos na época e era nova na escola, bem tinha um ponto vermelho (ninguém sabe oque é aquilo até hoje) e eu estava sentada em baixo do ponto vermelho e um menino que vou chamar de V começou a falar
- É SANGUE, É SANGUE
e outras crianças começaram a falar também e eu comecei a chorar pois não sabia me controlar!
e parece que com mais lagrimas eu soltava eles mais falavam isso, parecia que eles queriam ver meu sofrimento!
apenas uma menina me ajudou, que queria revelar o nome mais não posso,pois sou grada até hoje
historia 2: eu já era mais velha uns 12 anos e eu estava brincando de me agarrar no negocio de bicicleta, já que estava vazio, então sabe o V ele estava lá e quando me agarrei ele me puxou pra baixo e minha perna começou a sangrar e começou os "sintomas" da hemofobia, que são vc não sente suas pernas,seu coração acelera,lagrimas ficam presas nos seus olhos,e tem outras coisas
foi isso tchau turma <3
submitted by aligachabr to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.15 07:00 Surt3p Sou babaca por te ferrar e depois te amar?

Olá Luba, possível convidado, editores e turma minha história é meio longa: Em 2016 eu conheci uma menina em um aplicativo de relacionamentos, (vamos chamar de Ruivinha) eu com 16 anos e ela me dizia que tinha 16 anos também e eu realmente gostei dela, ruiva, gente boa, dava atenção e engraçada. E depois de meses de conversas era fato que estávamos gostando um do outro, tanto pelas palavras quanto o tempo que dávamos um ao outro, e realmente gostei muito dela, e até que chegou um momento que os dois estavam meio 🔥 e a conversa foi realmente mudando de direção. Depois de muitas conversas e fotos +18 (ironia pq os dois eram menores mas ok kkk) estava um clima bom, e realmente queria a conhecer pessoalmente e tudo mais mas ela sempre dizia que a família era muito fechada e não a permitia sair, mas ela me atentava e mesmo assim tentávamos sair ou de um jeito se encontrar. E eu ocupado com curso Tecnico e colégio fui me afastando aos poucos para focar nos estudos, mas mesmo assim querendo realmente conhecer ela porque gostava. Até que um dia meio que tudo ficou confuso, quando ela mandou umas fotos repetidas +18 e com legenda diferente e tipo nem fazia sentido ela ter mandado aquilo para mim naquela hora. E então descobri que ela realmente tava meio brincando comigo e mais uns 5, e então descobri no mesmo dia que ela tinha 13 anos e iria fazer 14 e eu fiquei realmente confuso e preocupado (e não ela não tinha feição tão jovem e corpo de menina nova, e todas as redes sociais estavam mais velha e até por ligação a voz e vídeo o jeito dava a entender que era mais velha mesmo) e fiz umas das coisas que mais me arrependi na vida porque fiquei com ciúmes e com raiva, criei um Google drive do 0 upei as fotos dela e mandei com um link para a avó e a mãe dela falando o seguinte: “Eu gosto muito dela, nossas idades são diferentes e nada impede de no futuro realmente termos uma coisa séria com mais maturidade, mas eu realmente quero que vocês deem atenção porque ela está se expondo muito na internet e isso pode vazar e conhecendo bem sei que isso pode acabar mal.” A mãe dela me xingou e falou que eu era um cuzao a vó dela me pediu perdão não sei porque, e ficou preocupada e a menina me xingou muiiiito mas muito e no final tudo se acalmou. Passou se uns anos e ela me chamou de novo em meados do final de 2017 e eu tinha terminado o ensino médio e um relacionamento que tive também e eu e a Ruivinha viramos amigos realmente, ela tem muitos problemas psicológicos e eu sempre ajudei como amigo e tudo mais e realmente curtia a amizade nossa, até mesmo que nossas idades era meio diferentes mas ela me respeitava muito e o que tinha acontecido ficou para trás e virou uma amizade tranquila. Mas no final do ano de 2019 mudou muita coisa, ela tava com 16 anos e eu com 19 e ela deu muita moral, e eu me interessei por ela, tínhamos todos mudado muito e eu imaginei que estávamos mais maduros, e um belo dia ela me chamou para comprar material junto com ela, e eu fui na casa dela, conheci os avós que me amam até hoje e mandam figurinha todos os dias kkkkk, a mãe dela também que surpreendentemente gostou muito de mim, e foi um primeiro encontro totalmente diferente mas eu gostei da pessoa que eu encontrei, ela realmente tinha mudado muita coisa, e foi indo assim por vários finais de semana consecutivos, e estávamos em um relacionamento sem nada oficializado, eu conheci toda a família ajudava em o que era preciso, e gostava de estar inserido na família mas umas coisas do relacionamento me deixavam meio intrigado, tipo pela internet ela era muiito 🔥 e juntos ela era outra pessoa, ou o fato dela não gostar muito de beijos e também ter preguiça para qualquer coisa que envolva sair, não demonstrar afeto, ser meio seca as vezes e não termos muitos momentos casal, mas foi isso por 4 meses até o início da quarentena e nós brigarmos por um motivo fútil, estava a 2 anos desempregado apenas fazendo uns bicos, e eu fui contratado em um emprego booom, e eu fiquei feliz com isso que estava lutando a tempos e eu chamei ela para vir em casa comemorar cmg, comer uma pizza com minha família e tudo mais, e depois ver um filme a sós, um momento nosso, e ela me disse a seguinte frase “você só pensa em me comer” “só quer sexo” e eu sem entender nada, ouvi muiita merda (detalhe nunca tínhamos transado antes e eu sou super delicado com esse assunto até por nunca ter acontecido) até aquela história das fotos foi revivida e eu me explodi, cansei disso e terminei com raiva pq ela não sabia o que tava acontecendo comigo depois desse tempo todo saindo da depressão e ter conseguido arrumar um emprego e na hora de comemorar ela me dizer isso. Me magoou muito isso e até hoje não me desce, mas no outro dia parei para pensar e queria conversar disse que não queria terminar realmente mas queria que ela entendesse meu lado, e ela surtou que um dia eu termino no outro quero voltar, não voltamos mas ficou um clima de romance voltando, era apenas se encontrar que rolava algo, mas depois foi meses sem poder ver ela, sem ligação, momentos instável no relacionamento eu querendo ver ela mas nunca era possível e a desculpa de quarentena para mim e churrasco em família todos os finais de semana, mas eu tava conseguindo fazer ela vir em casa no meu aniversário pq realmente estava com sdds dela e é uma data bem especial, (minha família fez o teste para umas coisas e para que eu pudesse ir buscar ela no meu aniversário “dia que estou escrevendo que foi por água a abaixo qualquer animo para esse dia”) e uma semana antes do meu aniversário eu tentando reconquistar ela todos os dias, sendo quem sou e tentando ser bom para ela (muitas vezes fodendo com meu psicológico) e eu descubro que sou um brinquedo que ela usava para destrair e que não era nada mais e que mesmo ela dizendo uma coisa ela tava sentindo outra, e que eu tudo que eu tava fazendo por uma história de 4 anos foi em vão. Brigamos feio e depois que eu desisti de tudo e falei o que realmente tava sentindo e fiz ela se achar um monstro só mostrando coisas que ela fazia e nem se tocava disso, tem indiretas até hoje, eu surpreendentemente estou bem, tenho muitas saudades dos momentos bons mas prefiro meu bem estar mental. Afinal apenas eu fui o Cuzao da história por tentar isso até o final e ter feito tanta merda?
submitted by Surt3p to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.15 01:27 lolitanaololita Chão molhado

Olá turma que está a ver, papelões que não estão mais entre nós (F no chat) , gatas e papai Luba, hoje vim contar uma história que aconteceu comigo quando eu tinha uns 7/8 anos e eu nunca mais esqueci (o título tem tudo a ver, aguarde hehehehe). Na época eu cursava o segundo ano do fundamental e eu tinha um crush em um menino desde o maternal (meu primeiro amor) e ele se parecia com um anjinho (loirinho, olhos claros, todo fofinho) e eu era louca de amores por ele. Lá estava eu conversando com minhas amigas, quando elas tiveram a brilhante ideia, "duda, vai lá se declarar pra ele, vai que ele gosta de você", e eu toda inteligente tive a "brilhante ideia" de me declarar pra ele depois do recreio. Então, como qualquer menina atentada, lanchei e sai brincando (correndo, pulando, dançando, enfim sendo uma criança). -detalhe importante: um comi três fatias de pizza mais uma latinha de refrigerante- Enfim, minhas amigas falaram que ele tava na sala com os amigos dele e até me arrumaram (me deram florzinhas, me secaram e arrumaram o meu cabelo) e eu fui lá toda boba, pensando que sairia namorando (mal eu sabia o que ia acontecer). Eu entrei na sala, cheguei nele toda boba e falei na frente dos amigos dele e dele que eu gostava dele desde o maternal. Ele simplesmente riu de mim e falou como uma menina "como eu" namoraria com um menino como ele (ele era branco e eu morena) e antes dele terminar de falar, (se lembra que eu comi muito e corri loucamente?) eu vomito em cima dele, pra ser mais exata, no tênis novo dele e nessa hora, a minha professora amada chega e me tira daquela situação constrangedora. Ela me limpou e me ajudou a ficar melhor, e depois disso, o diretor (amigo da minha família) me levou pra casa. E depois disso eu tive trauma de meninos (mentira, to namorando kkkk) Enfim lubisco, essa foi a minha história um tanto embaraçadora, mais que serviu de conteúdo pra você ❤ Beijo de uma turmênica paraense e fallou❤
submitted by lolitanaololita to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.13 22:06 Natali-Gessoli O PEDIDO

Oi Luba, Gatas, Editores, Papelões e turma q esta a ver. Essa história se passa no 4⁰ ou 5⁰ ano e envolve eu e minha amiga (que pediu para nn falar o nome caso alguém da sala veja)Narls.
Naquela época tínhamos o costume de levar dois bichinhos de pelucia, aqueles agarradinhos, pra escola, um burro chamado Bruno(meu) e uma coelha chamada Jujuba(da Narls). Certo dia estávamos na aula de educação física, enquanto o professor explicava a ativade estávamos brincando com os bichinhos. Os bichinhos gostavam um do outro, mas nada sério. Então o Bruno tomou uma iniciativa e decidiu pedir a Jujuba em namoro. Tudo estava dando certo, até que chegou a hora do pedido. No momento que o eu, como o Bruno falei:"Você quer namorar comigo?" A sala inteira calou, foi o maior silêncio e todo mundo nos encarando, até o professor. Não sabendo como agir minha amiga Narls teve a reação correta de se esconder de tanta vergonha e fingir q nn existia. Mas eu no meio do pânico fiz o seguinte, fiquei em pé e comecei a gritar:"FOI O BRUNO E A JUJUBA, NÃO FUI EU!!! EU JURO, NÃO FOI A GENTEEE, FOI OS BICHINHO", enquanto Narls morria de vergonha e estava tendo um ataque de riso. Passamos o resto do dia morrendo de vergonha. Depois desse dia eu e a Narls começamos a ser seguidas pela escola por um grupo de menina pois achavam que eramos lésbicas e estávamos namorando.
Essa foi a minha história, espero que gostem. Ps:Hoje em dia Bruno e Jujuba estão casados e com 3 filhos.
submitted by Natali-Gessoli to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.10 18:46 HannaK-Chan " não é preconceito, isso só não é certo "

Bom dia , boa tarde, boa noite, essa história vai ser um pouquinho longa pq ela aconteceu quando eu tinha 10 anos, então como faz um tempo eu vou tentar explicar tudo.
25 de dezembro de 2018
Era natal eu tava na casa dos meus tios junto com os meus primos etc..., ate que eu acidentalmente ouço um grito vindo do quarto da minha tia, e como toda criança endemoniada fui ver oque tinha acontecido, e minha tia tinha visto um pé de baixo da cama (obs: meus primos tavam brincando de esconder (não sei como chama na sua cidade ;-;)e o meu primo vamos chamá-lo de reinauro, estava lá se escondendo).
Ok né ai a minha tia chegou na cozinha e disse que tinha eu pé de uma criança de baixo da cama dela, todos assustados foram ver oque tinha acontecido, POUREM!, Meu primo tinha saído dali e foi pra outro lugar , então a minha tia saiu como "mentirosa".
Depois de umas 2 horas onde ja era quase meia noite, agente decidiu ir jantar e como qualquer família religiosa eles queriam rezar mais eu como sou um demonio e nunca gostei disso, tive a brilhante ideia de "rezar" de um jeito diferente.
Todos estavam rezando, (obs: minha família e bem homofóbica, no entanto que quase fui expulsa de casa ontem, porque eu tenho uma crush na minha "amiga" e minha mãe leu as minhas mensagens que eu tinha mandado pra minha crush.) todos estavam rezando, e eu tive a brilhante ideia de gritar que eu era lésbica. Mano me arrependo ate hoje de ter feito isso ,__,)"
A minha avó começou a expulsar o "demonio" que estava em mim, minha tia me tacou água, minha mãe me bateu , meus primos estavam tentando me proteger dos chingamentos e agressões que os meus familiares faziam em mim.
Depois de uns 6 dias nós estamos na véspera do ano novo.
31 de dezembro de 2018
La estava eu na casa dos meus tios novamente,com aquele clima pesado na família por uma brincadeira que na verdade é verdade eu sou lésbica mesmo assumida, nenhum famíliar falou comigo exceto meus primos e ainda sim meus tios não queriam que eles entravam em contato comigo,estava na maldita hora da oração e quando eu fui me aproximando eles não queriam me encostar,ate aí é estranho e tals mais eu fui tentar puxar assunto com eles:
-oi gente pq vcs não voltam ao normal e param de ser preconceituosos?
-tia: não é preconceito, isso só não é certo!, Mulher tem que ficar com homens não com outras mulheres!
-mas quql é o problema em gostar de meninas?
-tia: isso não está na biblia!,deus não aceita isso!
-ok mais deus não gosta da gente pelo oque agente faz? Nunca falou na bíblia que não pode ser desrespeitoso com o próximo?
Minha tia só se sentou na mesa e a família inteira me inguinorou este dia, so passei com meus primos que sempre me apoiaram.
Foi isso lubinha é uma história triste mais hoje eles estão de boa comigo, provavelmente eles esqueceram oque aconteceu...
Tchau qwq ✨♥️
submitted by HannaK-Chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.10 01:58 YatoToshiro Fate/Gensokyo Jeanne (Lancer - Alter- Lily)


https://preview.redd.it/18imf01ze2g51.png?width=350&format=png&auto=webp&s=aa332a3b4a031077b332eba41c134abfcffb0be8
A segunda geração é Alter-chan ~ 2016 Natal ~
Jeanne Alter encontra Gilles de Rais tarde da noite para falar sobre o Natal. Frustrada com o Papai Noel, ela diz a Gilles que vai roubar seu saco e distribuir os presentes antes que o Papai Noel o faça. Esse ato, ela acredita, fará as crianças e o Papai Noel chorarem. Gilles diz a ela que roubar o saco do Papai Noel será difícil, já que nenhum dos dois tem Ocultação de Presença. Em resposta, Jeanne Alter revela que Child-Gil deu a ela uma poção de invisibilidade. Enquanto estiver sob os efeitos da poção, ela roubará o saco do Papai Noel e passará a noite entregando os presentes. Assim, enquanto as crianças abrem alegremente os presentes amanhã, ela terá prazer nas lamentações de Santa Alter. Acreditando que seu plano seja perfeito, Jeanne Alter se prepara para beber a poção. Ela é cautelosa sobre beber, explicando que ela perguntou a Child-Gil sobre seu eu adulto como precaução. No entanto, apesar de seus medos, ela continua a beber a poção. Gilles aponta que ela não é invisível, portanto, Jeanne Alter acredita que Child-Gil a enganou. Mas, assim que ela se prepara para roubar a poção da invisibilidade real, ela de repente se transforma em uma criança, revelando que a poção é a Poção da Juventude. Esta versão infantil chama o plano de seu eu adulto de se tornar um malvado invisível, mas mesmo assim decide realizar seu desejo de ser o Papai Noel por respeito a esse desejo. Apresentando-se como Jeanne Alter Lily, ela anuncia que nasceu para se tornar o próximo Papai Noel. Depois que ela se chama de idiota por causa de seu plano de invisibilidade, Gilles pergunta se ela tem um plano. Alter Lily responde que ela não precisa de um plano, em vez disso, ela apenas convencerá o Papai Noel de que ela é o melhor Papai Noel. Ela então vai para o quarto do Papai Noel para fazer o que ela se propôs a fazer, mas ela é imediatamente e violentamente expulsa. Ao ouvir a comoção, Jeanne d'Arc vê Alter Lily e exige uma explicação de Gilles. Depois de obter uma explicação, Jeanne leva Alter Lily para o quarto de Ritsuka.
No quarto de Ritsuka, Jeanne explica a situação para Ritsuka, e Alter Lily se apresenta como Jeanne d'Arc Alter Santa Lily, Servo da classe Lancer. Ela então tenta e falha várias vezes em dizer seu nome mais rápido a pedido de Ritsuka, mas para quando Jeanne aponta que Ritsuka estava brincando com ela. Depois que Child-Gil se desculpa por dar a ela a poção errada, Alter Lily o critica por seu descuido. Ela também chama seu eu adulto de imprestável, culpando Jeanne por sua má atitude, estragando-a. Santa Alter então entra na sala, pedindo para falar com Ritsuka e Jeanne, e diz a Mash para brincar com Alter Lily. Alter Lily tenta exigir o saque de Papai Noel para ela, mas a ameaça de Papai Noel a faz parar. Enquanto Papai Noel fala com Ritsuka e Jeanne, Mash pergunta a Alter Lily por que ela quer ser Papai Noel. Ela responde que é porque seria o melhor Papai Noel de todos os tempos, acreditando que pode entregar os presentes adequados e ideais para todos. Ela critica o Papai Noel por dar presentes inúteis quando Mash se lembra da expressão vazia de EMIYA ao receber as chaves pretas no último Natal. Sabendo do Natal passado graças às memórias de sua personalidade adulta, Alter Lily afirma que pode dar presentes melhores que todos vão adorar. Quando Santa Alter volta de uma conversa com Ritsuka e Jeanne, Alter Lily fica com medo dela e se esconde atrás de Ritsuka. Santa Alter se prepara para dar o saco de Alter Lily, tendo decidido que ela pode ser o Papai Noel este ano. Mas antes disso, ela testa o valor de Alter Lily em ser o Papai Noel no simulador de combate. Passando no teste de Papai Noel, Alter Lily recebe sua sacola e, em seguida, sai com Ritsuka para entregar os presentes.
Voando pelo céu em Llamrei II, Alter Lily critica "The Gift of the Magi", dizendo que sua lição de moral cai por terra, já que os presentes dos casais se tornam inúteis no final. Mais tarde, ela lê que o primeiro pedido é de Jing Ke, que no ano passado pediu uma adaga afiada, mas em vez disso conseguiu um "elegante cavalheiro mais velho". Acreditando que ela tem o melhor presente para ela, Alter Lily e Ritsuka voam até o esconderijo da caverna de Jing Ke. Entrando na caverna, Alter Lily decepcionantemente testemunha Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari enquanto eles provocam Tarasque. Ela se anuncia quando Santa Marta percebe ela e Ritsuka, e começa a repreender todos eles por terem se embriagado. Ela fica com medo e se esconde quando Jing Ke a toca em seu estado de embriaguez. Ela fica ainda mais assustada quando Ushiwakamaru ameaça queimar tudo para fazê-la sair do esconderijo. Ela é então desafiada por Martha a lutar com ela e as outras meninas, o que ela aceita de bom grado. Depois de derrotá-los, Alter Lily dá às meninas seus presentes, que são todos desintoxicantes. Ela os repreende novamente por ficarem bêbados, dizendo que não é algo que Servo deveria fazer. Assim, ela lhes diz que o remédio é para que cumpram seus deveres como Servos, mas avisa que isso também significa que eles sofrerão danos se beberem álcool. Martha pergunta se ela fez o remédio, ao que Alter Lily responde que ela fez um Conjurador que usava roupas brancas, apesar de não conhecê-lo. Enquanto Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari partem para matar o Conjurador, Alter Lily sai com Ritsuka e segue para a próxima parada. Ela rapidamente agarrou Martha, que começou a perguntar o que ela pensava quando escolheu aqueles presentes. Alter Lily responde que ela queria dar presentes a Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari que seriam úteis para eles. Martha discorda desse sentimento, porém, acreditando que os presentes de Natal têm mais a ver com alegria do que com práticas. Alter Lily discorda fortemente de Martha, porém, acreditando que um presente prático é melhor do que aquele que traz alegria. Ela então sai com Ritsuka depois que Martha agradece pelo presente e lhe deseja boa sorte.
Em seguida, Alter Lily e Ritsuka voam para o Japão para entregar presentes aos servos de lá. Ao pousar, ela cumprimenta Fuuma Kotarou e se apresenta como Papai Noel. Em resposta à confusão de Kotarou sobre o Papai Noel ser uma criança, ela proclama mais uma vez que é o Papai Noel e não uma criança, fazendo beicinho sobre todos sempre tratarem como uma criança. Ela rejeita a oferta de doces de Tawara Touta, afirmando que tudo sabe que você não deve aceitar coisas de estranhos. Depois de rejeitar a oferta de doces de Ritsuka, ela dá a Kotarou seu presente, um dicionário Japonês-Inglês. Ela diz a ele que o nome de Noble Phantasm tem muitos problemas gramaticais e coisas, então o dicionário é para traduzi-lo para o inglês adequado para um nome de Noble Phantasm adequado. Touta chama seu presente de terrível, mas Alter Lily o defende, alegando que é para o próprio bem de Kotarou. Quando Touta diz que um presente de Natal deve trazer alegria, Alter Lily afirma que um presente não é bom se não for útil. Ela continua que, se esse não for o caso, então dar presentes é apenas trazer alegria ao doador. Ela afirma que presentes que trazem alegria não fazem o mundo melhor, acreditando que o Papai Noel precisa dar presentes úteis às pessoas para que possam melhorar. Ela então entra em uma discussão infantil com Kotarou sobre o que ela acabou de dizer, o que aumenta até ela ser desafiada a lutar com ele e Touta. Depois de ser derrotado, Kotarou aceita o presente de Alter Lily, mas diz a ela que não mudará o nome de seu Noble Phantasm, em vez de usá-lo para aprender algumas palavras da língua de seus antepassados. Alter Lily fica desapontada consigo mesma quando descobre que o Nobre Fantasma de Kotarou tem valor sentimental para ele. Ela é agradecida pelo dicionário e depois sai com Ritsuka. Mais tarde, no céu, ela pondera se seu presente para Kotarou foi útil e percebe que ser Papai Noel é mais difícil do que ela pensava. De repente, um "misterioso" Servo se apresentando como Santa Island Mask embarca no Llamrei II. Ele diz a Alter Lily para perseverar em seu papel de Papai Noel, dizendo que é função do Papai Noel sempre se levantar e dar sempre sorrisos. Alter Lily decide aceitar o Papai Noel como seu mentor para guiá-la a ser um Papai Noel melhor.
Alter Lily e Ritsuka chegam em um labirinto, mas estão perdidos graças à falta de direção dela. Ela provavelmente encontra pessoas por perto, presumindo que foram elas que pediram presentes ao Papai Noel. Ela se apresenta e se prepara para dar o presente a eles, mas as chamadas pessoas acabam sendo monstros. Depois de matar os monstros, Alter Lily ouve vozes de crianças chamando pelo Papai Noel. Gritando em resposta, ela é encontrada por Nursery Rhyme e Jack, o Estripador. Garantindo que ela está bem, Alter Lily pergunta se foram eles que pediram presentes ao Papai Noel. Eles confirmam, mas estão confusos, pois ela não é o Papai Noel. Jack e Nursery Rhyme contam a Alter Lily sobre como Papai Noel lhes deu muitos presentes no último Natal. Alter Lily é então forçado a lutar contra eles, já que Papai Noel ensinou Jack e Nursery Rhyme que eles precisam lutar para ganhar seus presentes. Ela os derrota, e eles explicam que não ganham presentes desde que perdidos, embora ela tenha presentes para eles. De repente, uma chave preta rosa cai no chão marcando a chegada de Santa Mask. Santa Mask convence Alter Lily a fingir que perdeu para Jack e Nursery Rhyme. Ela passa a fingir que foi derrotada por Jack e Nursery Rhyme, explicando que a vitória tardia é porque eles usaram Damage ao longo do tempo. Fingindo estar muito fraca para se mover, ela decide dar seus presentes. Santa Mask agradece a Alter Lily por um trabalho bem feito, embora ela se sinta culpada por mentir. Depois que o Papai Noel vai embora, Jack e Nursery Rhyme convidam Alter Lily para o chá. Ela agradece pelo convite e avisa que lá entregará seus presentes. Chegando na festa do chá, ela deduz que nem EMIYA nem Asterios pediram presentes. Ela pergunta a Asterios se ele quer alguma coisa para o Natal, mas ele responde que não. Acreditando que duvida que ela seja o Papai Noel desde criança, Alter Lily diz a ele que ela é de fato o Papai Noel e exige saber o que ele quer. Asterios responde que quer que dias divertidos como o de hoje durem o máximo possível, um desejo que Alter Lily percebe que ela não pode conceder. Rejeitando a oferta de comida de Asterios e a tentativa de EMIYA de falar sobre ela, ela dá presentes a Jack e Nursery Rhyme. O presente é um eremitério, pois Alter Lily acredita que Jack e Nursery Rhyme precisam de um lugar tranquilo para estudar em vez de brincar. Ela tenta explicar por que isso seria bom para eles, mas então decide que não seria e foge. Enquanto ela corre, Alter Lily percebe que é praticamente tudo o que ela tem, e que ela tem desejo nem esperança, já que a existência dela é impossível. No entanto, apesar disso, ela pensou que poderia conceder os desejos dos outros em vez dos seus próprios, e é por isso que ela queria ser o Papai Noel. No entanto, ela acredita que falhou em ser o Papai Noel, pois não sabe o que faz as pessoas felizes. Sozinho no meio de um campo de neve, Alter Lily é finalmente encontrado por Ritsuka, Jack e Nursery Rhyme. Ela se sente abatida quando eles devolvem o presente para ela, mas eles dizem que querem ver o mar. Santa Mask então aparece e a incentiva a atender o pedido de Jack e Nursery Rhyme, já que ela pegou o presente de volta. Alter Lily diz a Jack e Nursery Rhyme para embarcarem no Llamrei II para que ela possa levá-los ao mar. Antes de sair, ela agradece ao Papai Noel e garante que fará o possível.
Enquanto o grupo voa para seu destino, eles são repentinamente puxados para baixo por um Servo. Após um pouso forçado, eles são confrontados por Leonidas, que proclama que não pode deixar Alter Lily conceder o desejo de Jack e Nursery Rhyme de ver o mar. Questionado sobre o motivo por Alter Lily, ele explica que é por ordem de um gênio que ele não pode deixá-los passar. Alter Lily então luta com ele, alegando que é função do Papai Noel conceder desejos. Após a derrota, Leônidas diz a Alter Lily que há um grupo de Servos esperando à frente, e avisa que sua jornada até o mar não será fácil. Ela pergunta por que ele está tentando impedir o Papai Noel de realizar um desejo, mas ele apenas responde que ela terá que pedir detalhes ao próximo Servo. Depois que Leonidas desaparece de volta para Caldéia, Alter Lily confirma a condição de todos quando o Papai Noel aparece novamente. Ele pergunta a ela se ela ainda está disposta a continuar sua jornada, apesar de saber que ela não receberá nenhuma recompensa por realizar um desejo. Hesitante a princípio, ela responde que quer conceder o desejo de Jack e Nursery Rhyme, em vez de forçar um presente que eles não querem. O Papai Noel diz a ela para proceder com cautela, e cabe ao Papai Noel conceder ou não um desejo. Depois que ele sai dizendo que Papai Noel pode não ser um santo, Alter Lily pensa em como ela queria refutar isso. Ela queria dizer que o Papai Noel é um nobre santo que realiza o desejo de todos, por isso ela escolheu se tornar o Papai Noel. No entanto, ela não pode deixar de sentir que o que o Papai Noel disse pode ser verdade. Ela treme de medo do que acontecerá depois do Natal e se pergunta se ainda terá permissão para existir. O grupo percebe que não pode mover o trenó, então eles decidem seguir em frente sem ele.
Montando acampamento em uma floresta, o grupo come o banquete que a EMIYA preparou anteriormente. Mais tarde naquela noite, Alter Lily fala com Ritsuka sozinho enquanto Jack e Nursery Rhyme estão dormindo. Ela pergunta por que eles estão dormindo, já que são servos, e acreditando que estão desperdiçando energia mágica desnecessária, ela pergunta a Ritsuka se eles estão incomodando. Ritsuka responde que eles não se importam, mas Alter Lily responde que ela sente que é mais apropriado para um Servo permanecer na forma espiritual durante os tempos de descanso. Seguindo essa crença, ela se prepara para entrar na forma espiritual, mas antes disso, ela pergunta a Ritsuka se eles já viram o mar. Depois de darem suas respostas, Alter Lily se pergunta se é bom para Jack e Nursery Rhyme ficarem ansiosos para ver o mar. Ela continua que não tem nenhuma memória do mar, já que seu eu adulto nunca o viu. Ela então pergunta qual é o sentido de ir ao mar durante o inverno, já que eles só podem vê-lo, em vez de no verão, quando podem nadar nele. Ritsuka diz a ela que provavelmente ela vai gostar.
Na manhã seguinte, o grupo se prepara para continuar para o oeste em direção ao mar quando Mash detecta dois Servos. Hassan, do Braço Amaldiçoado, aparece declarando que não pode deixar o grupo ir para o mar. Em resposta a Alter Lily perguntando o motivo, ele responde que é porque o verdadeiro Papai Noel está aqui. Alter Lily suspeita de suas respostas, já que pareceu que ele pensou nisso quando Ritsuka disse que havia outros papais noéis. Evitando a acusação, Cursed Arm apresenta o verdadeiro Papai Noel, Santam, que pergunta o que é Papai Noel. Alter Lily responde que Papai Noel é o concedente de desejos, alguém que traz alegria trazendo presentes. Santam responde: Papai Noel é um vigia sem rosto que trabalha nas sombras e depois se revela. Alter Lily, Jack e Nursery Rhyme imediatamente percebem que Santam é apenas EMIYA usando uma máscara; algo que o choca, já que eles não conseguiram descobrir a identidade do Papai Noel. Ignorando isso, EMIYA diz a Alter Lily que ele veio para corrigir sua visão equivocada do Papai Noel. Ele diz a ela que ela não é um verdadeiro Papai Noel se ela hesitar ou fugir dessa jornada. Ele a desafia a lutar com ele se ela realmente acredita ser o Papai Noel. Alter Lily está cheia de dúvidas sobre ser o Papai Noel, acreditando que talvez EMIYA seja um Papai Noel melhor do que ela. No entanto, apesar de suas dúvidas, ela decide lutar, declarando-se o Papai Noel, uma vez que lhe foi confiado o saco do Papai Noel. Depois que ele é derrotado, EMIYA diz a Alter Lily para seguir em frente, nunca esquecendo que ela é um verdadeiro Papai Noel. Depois que ele sai dizendo a ela para não esquecer seus deveres, Alter Lily parece deprimido, mas ela diz a Ritsuka que ela ficará bem.
Conforme o grupo se aproxima do mar, Alter Lily se pergunta se ela ainda poderá ser o Papai Noel ou se desaparecerá. Ela, Jack e Nursery Rhyme são carregados por Ritsuka enquanto fogem de uma horda de bonecas vivas. Ritsuka tropeça em uma pedra, então o grupo é forçado a lutar contra as bonecas. Depois que as bonecas são destruídas, Santa Mask aparece e trai Alter Lily, alegando que ele a levou para sua armadilha. Querendo pegar o saco do Papai Noel como seu, ele explica que a primeira regra do Papai Noel é que o Papai Noel deve ser indiferente, mas justo. Eles realizam desejos e dão presentes de maneira justa, sem preconceitos e sem interesses próprios. Ele diz que Alter Lily está perdida, perplexa e angustiada, mas ela continua. Alter Lily questiona se é ruim estar perdido e perplexo, ao que Santa Mask disse que é. Alter Lily então pergunta se o interesse próprio é desnecessário, mesmo o desejo de conceder desejos; Santa Mask diz que não é necessário para o Papai Noel. Jack pergunta a Alter Lily se ela vai com ela e Nursery Rhyme para o mar, pois os dois querem que ela vá. Chamando seu desejo de absurdo, Santa Mask exige o saco novamente, mas Alter Lily se recusa a dá-lo a ele. Ela declara que não vai entregar o saco para alguém que insulta crianças e decide que deve derrotar o Papai Noel. Depois de derrotá-lo, Alter Lily diz a Santa Mask para se afastar, o que ele faz porque a viu decidida como Papai Noel. Enquanto ela continua em direção ao mar, Alter Lily começa a tremer com a sensação que ela continua tendo. Jack e Nursery Rhyme seguram suas mãos, e os três continuam à frente de Ritsuka. Ao anoitecer, as meninas alcançam a costa e, ao ver o mar, Alter Lily pensa que provavelmente falhou como Papai Noel. Ela começa a chorar alto, agora percebendo que era ela quem queria ver o mar. Ela pede desculpas a Jack e Nursery Rhyme por terem vindo ao mar para realizar seus desejos, mas para conceder os dela. Eles dizem a ela que está tudo bem, acreditando que ela fez o melhor que qualquer Papai Noel poderia. Ela então ouve as ondas com eles. Depois, ela corre para Ritsuka, que a observava de longe, e diz a eles que é o Papai Noel, embora seja jovem, imatura, egoísta e indefesa. No entanto, apesar de suas falhas, ela quer ajudá-la a Ritsuka. Ela pergunta a eles se pode ficar com eles mesmo depois do Natal e depois. Ritsuka a aceita, então Alter Lily agradece e os abraça.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.08.09 23:31 YatoToshiro Fate/Gensokyo #53 Jeanne d'Arc (Fate/Apocrypha)


https://preview.redd.it/cc49ta95p1g51.png?width=5000&format=png&auto=webp&s=1450cccbdfd0eb3e16fbc6d5caa0c3affc97c60f
«Bondade, Humildade, Honestidade, Pureza, Fé - o coração de Donzela carregava apenas estas coisas e nada mais." »
«Tudo o que os homens chamam de grande, procure em Joana d'Arc, e aí você encontrará. »
(Mark Twain em "Lembranças pessoais de Jeanne d'Arc, Volume 2")
O verdadeiro nome do governante é Jeanne d'Arc, a Santa de Orleans. Um santo católico nascido em Domrémy, França, e a heroína da França que libertou Orléans na Guerra dos Cem Anos.
Life
Jeanne d'Arc era filha de um fazendeiro comum. Ela afirma que recebeu o comando de Deus para lutar. Ela ouviu o lamento do Senhor de que o mundo mudou direto para o inferno. O Senhor chorou de tristeza porque ninguém podia impedir e as pessoas nem mesmo tinham permissão para viver com simplicidade e eram compelidas a se tornarem animais ou comida. O conflito nunca terminou, e o sangue continuou a chover incessantemente e encharcar a terra. Ela recebeu uma revelação do Senhor, a voz não continha glória ou vitória, nenhuma obrigação ou senso de propósito, mas apenas o Senhor lamenta. Ela pegou seus murmúrios pequenos e débeis que todos os outros não conseguiam ouvir.
Ela respondeu jogando fora sua vida como uma simples aldeã e a alegria de amar alguém e ser amada de volta. Além disso, não haveria compensação. Ela sabia que certamente seria desprezada pelas massas de inimigos e aliados, considerando suas crenças nas diretrizes da Igreja para o comportamento adequado das mulheres. Era algo muito assustador de se contemplar. Foi uma loucura para uma mera garota da aldeia do campo saltar para o campo de batalha onde a intenção de matar das pessoas girava. Ela não deu as costas aos clamores do Senhor. Ela decidiu devotar sua vida para se opor ao inferno deste mundo para ajudar a parar as lágrimas do Senhor e acalmá-lo. Ela vestiu sua armadura em seu corpo, pendurou uma espada em sua cintura e carregou a bandeira. Ela lutou ao lado de Gilles de Rais.
Tendo nascido em uma família de camponeses, Jeanne nunca soube o conteúdo dos muitos livros de oração. Ela se esforçou para aprendê-los, mas parece que simplesmente nasceu incapaz de ler ou escrever. O máximo que ela conseguiu foi aprender a assinar seu nome. Enquanto se preocupava com isso, no final, ela decidiu que precisava de um pouco mais para orar ao Senhor. Como ela se lembra, um de seus camaradas que cavalgava ao lado dela, Gilles, uma vez riu e prometeu que isso era mais do que suficiente.
Dizem que na realidade tudo o que aconteceu foi que ela usou táticas que os cavaleiros da época não usavam por desdém e honra. Mikiya Kokutou acredita que ela utilizou a Força Contrária em seus atos.
Jeanne e Gilles foram condecorados como salvadores e heróis nacionais pelo rei Carlos na catedral com a melodia de Ars Nova tocando ao fundo.
Death
Jeanne foi condenada à morte na Place du Vieux-Marché em Rouen. Desprezada por palavras de condenação ao ser conduzida para a pira e sentindo-se apenas um pouco dolorida ao suportá-la, ela já havia abandonado emoções como medo, decepção e arrependimento desde o início de suas batalhas, então ela foi capaz de caminhar em sua direção morte sem vacilar em seus passos. Enquanto ela inconscientemente alcançava a cruz que estava em seu peito até que eles a tirassem dela, ela sentiu um pouco de tristeza porque não havia nada para sustentar seu coração. Pouco depois, ela recebeu uma cruz de madeira feita por um inglês que a reverenciava, agradecendo-lhe baixinho enquanto ele se ajoelhava e chorava. Suas mãos foram amarradas a uma estaca de madeira atrás dela, e o padre presente completou a recitação de seu julgamento final antes de jogar a tocha sobre a pira. Como eles acreditavam que a perda da carne era o maior dos medos, era o castigo mais cruel que poderia ser imposto a ela.
As chamas começaram a queimar sua pele, queimar sua carne e carbonizar seus ossos, enquanto ela falava o nome do Senhor e da Santa Mãe contra aqueles que denunciavam suas orações como apenas uma mentira. Ela só conseguia estranhar esses pensamentos, acreditando que as orações nada mais são do que orações, não importa a quem sejam oradas, que não trazem verdades ou falsidades intrínsecas. Embora ela quisesse contar a eles sobre o pensamento, ela foi incapaz de produzir qualquer som. Enquanto queimava, ela teve visões de seu passado, sua família comum em sua aldeia rústica e ela mesma, "a tola que fugiu e jogou tudo isso de lado". Tendo sabido desde o início como sua jornada terminaria, ela sentiu que certamente pode ter sido tola em suas ações, que ela pode ter levado uma vida normal, se casado e vivido junto com seu marido e filho.
Se ela simplesmente tivesse silenciado a voz e abandonado os soldados em lamento, ela poderia ter tido aquela vida, mas sentiu que não foi um erro ter trilhado seu caminho por causa daqueles que ela salvou. Ela soube desde o momento em que escolheu entrar na batalha que teria esse fim, e ela sentiu que nunca iria zombar de si mesma por suas escolhas. Seu passado, futuros impossíveis e a realidade cruel diante dela não tinham sentido antes de suas orações, oferecendo a si mesma que, mesmo que todos os outros a condenassem, ela não se trairia. Em vez de continuar olhando para trás em seu caminho ou ansiar por outro futuro, ela desejava apenas um descanso silencioso. Em meio à selvageria, ela manteve apenas uma única oração em seu coração até o fim, sem mácula de arrependimento e cheia de sinceridade. Quando ela disse suas palavras finais, "... Ó Senhor, eu me entrego a Ti ...", sua consciência terminou e ela foi liberada de seu sofrimento. Embora o sonho da menina tenha terminado aí, "o sonho de La Pucelle estava apenas começando".
Sua morte fez com que Gilles de Rais enlouquecesse, virasse as costas para Deus para praticar magia negra e cometesse atrocidades antes de ser capturado e enforcado até a morte.
Fate/Grand Order
Orleans: The Wicked Dragon Hundred Years War
" Meu Senhor. Mais uma vez, levantarei esta bandeira, para este país - não, a salvação deste mundo.
A ordem explodiu em chamas e muitos objetivos foram perdidos. Nosso futuro desapareceu em apenas um segundo.
Ouça minhas palavras, bravos guerreiros reunidos aqui, legião de espíritos heróicos que mantêm sua razão!
Não importa se vocês foram inimigos jurados ou não importa a distância entre os períodos de tempo, agora vocês devem confiar um ao outro!
Meu nome verdadeiro é Jeanne d'Arc. Em nome de meu senhor, serei seu escudo!
Esta luta perdurou por muito tempo nas areias da história humana.
Mas não há necessidade de se preocupar, pois encontros fatídicos incontáveis esperam por você.
Embora todo este planeta tenha se tornado o campo de batalha da Guerra do Santo Graal, embora o mundo tenha sido levado à ruína, embora inúmeros inimigos formidáveis bloqueiem seu caminho, o fim ainda não foi determinado por ninguém.
Agora, vamos começar nossa luta, Mestre.
As cortinas se erguem na maior Guerra do Santo Graal da história. »
(Jeanne D'Arc)
Ela é a personagem central da singularidade de Orleans, onde deve enfrentar Jeanne Alter, sua forma corrompida nascida do desejo de Gilles de Rais ao Santo Graal, para vingar sua morte. Jeanne é convocada à singularidade logo após sua morte, embora ela esteja enfraquecida e possua as habilidades atribuídas à classe do Governante. Como resultado das ações de Jeanne Alter, ela é temida e desconfiada por grande parte da população francesa.
Jeanne conhece Ritsuka e Mash quando eles seguem um bando de soldados franceses até Vaucouleurs, onde ela os ajuda a lutar contra os wyverns. Depois, ela conta ao par sobre suas circunstâncias, e depois de concordar em ajudar a restaurar a era, ela decide reunir informações sobre Orleans. No dia seguinte, o grupo viaja para La Charite para reunir informações sobre Orleans, mas eles descobrem que a cidade foi destruída por monstros. Depois de matar os monstros, ela e os outros encontram Jeanne Alter, que envia Carmilla e Vlad III para matá-la. Enquanto o grupo consegue derrotar os vampiros, Jeanne Alter envia mais três de seus Servos para eles. Felizmente, Jeanne e os outros são salvos pela intervenção de Marie e Mozart, que ajudam o grupo a escapar. Depois de escapar, Jeanne fala com os outros sobre como todos os Servos de Jeanne Alter têm o Melhoramento da Loucura, independentemente de sua origem, que Romani atribui ao Graal. Jeanne então teoriza que a razão pela qual Marie e Mozart foram convocados é devido ao Graal resistir à reversão da causalidade de ter um portador antes mesmo de a Guerra do Graal começar. Mais tarde naquela noite, após derrotar Santa Marta, o grupo é instruído por ela a ir para Lyon, onde encontrarão um matador de dragões que pode matar o dragão de Jeanne Alter.
No dia seguinte, Marie reúne informações sobre Lyon em uma cidade próxima, enquanto os outros esperam do lado de fora, já que a presença de Jeanne vai aterrorizar os cidadãos. Marie relata que Lyon foi destruído há um tempo, mas apesar disso eles decidem ir à cidade para procurar o matador de dragões. Enquanto procurava pela cidade, Jeanne e outros eventualmente encontram e matam O Fantasma da Ópera. Romani então os avisa sobre um dragão e três Servos vindo em sua direção, mas Jeanne e os outros decidem continuar sua busca pelo matador de dragões. Chegando ao castelo da cidade onde Romani conseguiu uma leitura de um Servo, o grupo encontra o matador de dragões, Siegfried. Saindo do castelo, eles encontram Jeanne Alter e seu dragão, Fafnir, que recebe a ordem de queimá-los. Jeanne e Mash são capazes de proteger a todos das chamas do dragão, então escapam quando o Balmung de Siegfried faz com que Fafnir recue. Enquanto escapam, eles encontram um exército francês sendo atacado por wyverns; Jeanne passa a defender os soldados dos wyverns enquanto os outros lutam contra Sanson e Lancelot. Enquanto lutava contra os wyverns, Jeanne encontra Carmilla, que a insulta por ser temida agora como a "Bruxa do Dragão", mas Jeanne não vacila. Eventualmente, Gilles chega para atacar os wyverns com sua artilharia, dando a Jeanne a chance de atacar Carmilla. Enquanto Carmilla se retira com Sanson, Jeanne é atacada por Lancelot, que a confunde com o Rei Arthur. Depois de se desculpar com Lancelot por não ser seu rei após sua derrota, Jeanne é interrompida por Gilles, que pergunta se ela é a verdadeira Jeanne. Recusando-se a não responder para não colocar em risco sua posição, ela sai com os outros.
Chegando a um forte abandonado, Jeanne e os outros descobrem por Siegfried que ele foi amaldiçoado. Mas, como Jeanne não consegue remover as maldições devido à sua multiplicidade, ela e os outros se separam para procurar um santo para ajudar a remover as maldições. Viajando com Marie, Marie diz a Jeanne para rejeitar todas as palavras desdenhosas de Jeanne Alter, o que ajuda a dissipar algumas das dúvidas de Jeanne sobre si mesma. Eventualmente, chega a uma cidade sob a proteção de Georgios. Jeanne e Marie tentam recrutá-lo, mas ele responde que não pode sair até que os cidadãos da cidade sejam evacuados. No entanto, quando Jeanne Alter chega para atacar a cidade, Marie fica para trás para proteger a cidade enquanto Jeanne e Georgios fogem. Encontrando-se com os outros em Thiers, Jeanne conta a todos sobre o sacrifício de Marie, então ela e Georgios suspendem as maldições de Siegfried. Mais tarde naquela noite, ela tem uma conversa com Mozart sobre Marie, onde Mozart diz a ela que o desejo de Marie por uma amiga foi realizado graças a ela. Jeanne termina a conversa afirmando a Mozart que salvará a França em homenagem a Maria.
No dia seguinte, o grupo decide com um ataque frontal a Orleans com Jeanne decidindo confrontar Jeanne Alter ela mesma. Mais tarde no campo de batalha, Jeanne confronta Jeanne Alter enquanto os outros lidam com os servos de Fafnir e Jeanne Alter. Jeanne Alter logo se retira, devido à morte de Fafnir, de volta para Orleans com Jeanne e os outros dando a perseguição. Matando Atalanta ao longo do caminho, ela e os outros chegam ao palácio de Orleans, onde ela pergunta a Gilles (Caster) se Jeanne Alter é a "real" dela, mas sua resposta resulta em uma briga quando ela afirma que enfrentará seu eu sombrio . Então, enquanto Elizabeth e Kiyohime seguram Gilles, Jeanne vai enfrentar Jeanne Alter, onde ela termina vitoriosa sobre seu eu sombrio. No entanto, Gilles revela que criou Jeanne Alter com o Santo Graal para criar uma Jeanne que buscava vingança na França. No entanto, Jeanne afirma a ele que ela nunca poderia ser a "Bruxa do Dragão", pois mesmo com seu fim trágico ela nunca poderia odiar sua terra natal. Depois de confirmar que ele odiaria e destruiria a França por executá-la, Jeanne e os outros lutam e o derrotam. Quando Gilles morre, ela o agradece por acreditar nela e diz que não se arrepende de sua vida. Então, quando a singularidade começa a entrar em colapso, ela diz a Gilles que embora ela tenha morrido e ele chorado, ela está confiante de que eles lutarão juntos novamente de uma maneira e forma diferentes. Depois disso, Jeanne diz goobye para Ritsuka e Mash, sentindo que eles podem se encontrar novamente.
Fate/Extella
Jeanne é uma personagem jogável em Extella, servindo no grupo de Altera ao lado de Gilgamesh e Iskandar. Jeanne é uma "Servidora Superior" convocada pela Célula da Lua para defendê-la da Estrela Umbral e é enviada para destruir Altera após a derrota de Iskander. Depois que ela e o intruso Gilgamesh são derrotados por Altera, ela jura lealdade a ela na tentativa de entendê-la e, finalmente, salvá-la.
Flame Poem
Jeanne lidera as forças de Altera contra Nero Claudius em Mare Origo, mas ela acaba sendo derrotada por Nero. Mais tarde, ela ajuda a defender Mare Carcer contra a força de Nero, mas é novamente derrotada.
Orchid Words
Jeanne ajuda Gilgamesh a defender Mare Origo contra a força de Tamamo, mas ela é derrotada por Tamamo.
Dawn
Jeanne invade Mare Carcer para derrotar Altera sob as ordens de Moon Cell. Altera se oferece para deixá-la se juntar a ela, mas Jeanne a rejeita. Ela então luta contra Altera, usando seus poderes como governante para selar Altera para sempre. No entanto, Gilgamesh aparece de repente e interrompe sua batalha com o Portão de Bablyon. Jeanne chocada que ele veio para o Zero Dark sem ser convocado, achando isso impossível até mesmo para um Top Servant. Ela fica ainda mais chocada quando Altera deduz a identidade de Gilgamesh. Depois que Gilgamesh decide se juntar a Altera, Jeanne pergunta por que ele ajudaria Velber. Ele a deixa pensando se deve seguir seu dever para com a Célula Lunar ou suas próprias paixões. Jeanne mais tarde se junta a Altera e ajuda a lutar contra as forças de Tamamo no Mae em Mare Origo.
Poucos dias depois, Jeanne, acompanhada por Iskandar, ajuda Altera a conquistar o Mare Aurum. Após a batalha, Altera percebe que Nero lançou um ataque a Mare Carcer enquanto ela se distraia com Gawain, e convoca Iskandar e Jeanne de volta. Ela ordena que destruam todos os programas inimigos em Zero Dark enquanto ela ataca as forças principais de Nero em Mare Carcer.
Golden Poem
Jeanne e Gilgamesh ajudam Iskandar a lutar contra as forças de Nero no Mare Origo, mas ambos são derrotados. Mais tarde, enquanto Gilgamesh observa a luta de Nero e Iskandar, ela pergunta se ela realmente pretende matar Hakuno junto com Nero se a batalha não o divertir. Ela então pergunta por que ele se juntou a Altera, já que ele não foi convocado por Moon Cell, então ela não consegue perceber uma razão para ele intervir com Velber. Gilgamesh acha que ela está brincando, mas ela insiste que não. Ele então explica como ele veio do Far Side após sentir um despertar no Zero Dark para intervir na batalha contra Sefar. Sentindo que a batalha contra Sefar chegará ao fim, ele se pergunta o que virá depois, já que nem ele nem Jeanne podem perceber. No dia seguinte, Jeanne e Gilgamesh ajudam a defender Mare Carcer, mas são derrotados novamente.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.08.09 00:40 Naiade23 Bullying

Eu ando tendo muito pesadelo com coisas que me aconteceram no passado, principalmente com as aulas, eu fico pensando que tudo vai voltar quando retomar as aulas presenciais, que o pesadelo vai continuar. Eu sofri bullying por 4 anos, alguns podem dizer que é pouco tempo, mas é mais que é qsuficiente, e eu ando sonhando com o meu último dia de aula em uma determinada turma faz um tempo. Eu lembro sempre de uma festa que fizeram para um professor que toda a turma arrumou, e quando eu cheguei ñ sabia o que estava acontecendo, ninguém me contou, ninguém lembrou de mim, nem quem era meus "amigos", eu lembro que sentei em um banco mais afastada e fiquei escrevendo, e em um momento as meninas vieram e pegaram meu caderno e leram sem nem pedir e falar que eu fazia drama pra tudo, que era ridículo eu escrever sobre aquilo, elas me culparam por sentir mal e por escrever o que eu sentia. Eu sonho sempre com o dia em que eu tive que falar na frente de todos e os meninos ficaram brincando e debochando de mim, e quando eu fui em busca de apoio minhas "amigas" riram e dizeram que era estupidez minha. Depois disso eu sentei na classe e chorei e ninguém notou ou se importou, eu liguei pra casa e sai mais cedo, no outro dia eu ñ conseguia colocar os pés na sala de aula e fiquei fora da escola uma semana até me trocarem de turma. Toda a vez que eu via e que eu vejo meus antigos colegas eu tenho ataques de pânico.
submitted by Naiade23 to desabafos [link] [comments]


2020.08.07 00:38 Yumi-Mochizuki O dia que tive "aqueles dias" no shopping

(Fazendo voz de menina)
Fala ae Luba, Humanos, ETs, animais, plantas e átomos! Bom, essa história é o que seria um dos piores momentos da minha curta vida e também um dos pesadelos das meninas, se bem que o maior aconteceu comigo também, mas fica pra próxima.
Muito antes da pandemia e do capeta estar no poder, eu morava numa cidade média, com minha vida normal de 0 amigos, antisocial, otaku, que lanchava sozinha porque ninguém queria lanchar comigo e de a única aluna que ninguém escolhia pra fazer trabalho em grupo (até hoje é assim), super normal até que o capeta chega no poder, meu colégio virou uma divisão entre bolsominions católicos e petistas católicos (todo mundo era católico menos eu) que na verdade era da segunda divisão, mas ninguém sabia porque falava com ninguém, não aguentava mais aquela tortura de Pai Nosso todo santo dia, sorte que meus pais encontraram um bom trabalho na capital, então todo mundo foi pra lá, por aí era bem legal e tal, mas o que eu mais gostava era de ter mais prédios e não tinha aquela tortura de bolsominions católicos, passou um tempo e no final tava a mesma coisa, a diferença era que era bolsominions adventistas e petistas adventistas EEEEEE veganos adventista contra todo o resto, voltando para a capital, lá também tinha muitos shoppings, lá tinha mais shoppings que escolas e hospitais juntos e minha família ama andar por esses lugares(guarde no seu coração até o final da história). Teve um dia que tive uma cólica horrível, estava de TPM (Tendência Para Matar) e já tava na minha montanha-russa de emoções, foi então que meus pais tiveram uma idéia super legal: ir para o shopping, era sábado, todo mundo tava livre , no tédio e o vizinho tava enchendo a paciência com o seu cigarrinho da tarde, então concordamos, todos nós nos arrumamos, só que eu tinha esquecido algo ( não, não era o celular , eu tinha levado também), tinha esquecido de levar absorvente, mesmo com os ocorridos e com os sinais eu tinha pensado: "O QUE PODE DÁ DE ERRADO?" Então todos nós fomos pro incrível e espetácular Shopping! Deixamos meus irmãos naqueles lugares onde deixa a criança brincando até voltarmos (quase esquecemos eles) e meu pai foi ver umas coisas ae, minha mãe e eu fomos pra uma loja ver umas roupas e como ela sabia que eu amo calças, nós fomos ver umas que acredito eque não foi uma boa idéia. Fomos ver umas calças e aí fui experimentar e minha mãe foi ver umas roupas pra ela também, enquanto eu estava no provador, senti algo estranho, ignorei por um tempo, mais uns minutos eu senti um cheiro estranho, e já era minha segunda calça que tinha experimentado, tirei e fui ver, vi que tava sangrando, com uma roupa que ainda não tinha comprado e era a segunda calça que tinha experimentado! Tirei na hora e por misericórdia de Deus ele não me castigou e as calças estavam intactas, mas minhas roupa íntima... Chamei minha mãe, falei pra ela baixo, se não o pessoal ia ouvir essa semi-tragédia, e ela falou: - espera aí que já volto. Foi o pior já volto dela, cada segundo pra mim era uma tortura e a cena do crime estava se expandindo no provador, passou meia vida e ela voltou, ela me deu uns absorventes e umas roupas íntimas, sorte de Deus que minha calça mesmo estava limpa, limpei a cena do crime e no final nunca mais voltamos pra aquela loja, compramos nada, fomos comer churros pra esquecer aquilo por alguns minutos, e tudo voltou ao normal, menos a parte de que minha mãe faz piadas desse dia, só ela riu daquilo mesmo depois desse tempo todo, mas eu não consegui rir disso, ainda.
Foi isso, não teve muitas coisas épicas como um rinoceronte alado turquesa invadindo o shopping e explodindo no final em câmera lenta mas foi isso, mais 6 linhas se despedindo, fim <3.
submitted by Yumi-Mochizuki to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.06 15:57 DaGSHIN_YoYo "Eu tenho algo pra te mostrar"

Olá turma, Luba e gatas, vocês estão bem? Espero que sim. Essa história que vou contar aconteceu em 2014, quando eu tinha 9 anos (isso vai ser bem relevante), ela não é uma história legal, mas aproveitem mesmo assim.
Bem, era Outubro, as provas tinham terminado e quem não ficou de recuperação já tava livre, e pra comemorar com os alunos que já estavam aprovados, a escola organizou um passeio pra um parque aquático, se eu não me engano com o 4º Ano (minha turma) e o 5º Ano.
Eu não estava TÃO animada pra ir, mas fui mesmo assim (grande erro), o parque era bem longe, o passeio era de manhã e duraria até o final da tarde. Eu tinha acabado de almoçar e fui brincar nos tobogãs, até que eu machuquei a parte de trás da minha coxa, parei as brincadeiras e fui descansar em uma piscina rasa. Enquanto eu tava na piscina veio um garoto do 5º ano, vamos chamá-lo aqui de Mateus, ele veio e começou a conversar comigo.
Mateus: -"Ei menina, vi você brincando nos tobogãs, parou porque? Cansou?"
Eu: -"Não, eu me machuquei, tô aqui pra ver se minha perna para de doer"
Mateus: -"Nossa! Tá tudo bem? quer que eu fique aqui pra te fazer companhia?"
Nessa hora eu não tava muito confortável, porque não conhecia ele direito, mas como eu era gentil, até demais, deixei ele me fazer companhia. Chegou um momento em que a gente tava conversando, em que ele começou com um papo meio torto.
Mateus: -"Ei, eu quero te mostrar uma coisa, quer ver?"
Eu: -"Sim, o que é?"
Ele pegou a minha mão e ia colocar dentro da sunga dele, eu imediatamente me soltei, mas ele me convenceu de alguma forma, e eu coloquei a mão lá. Ele dizia coisas como: "Duro né?", "Você acha que é grande?", coisas assim, dá nojo tentar lembrar. Depois de um tempo eu tirei minha mão e ele começou a tentar colocar a mão em mim, não deixei, saí correndo e tentei evitar ele o máximo possível. Não contei isso pra ninguém na época porque não sabia que era errado, me arrependo amargamente.
Essa foi a história, desculpa o textão, tenham um bom dia, uma boa tarde ou uma boa noite.
submitted by DaGSHIN_YoYo to TurmaFeira [link] [comments]


Meninas brincando - YouTube Meninas brincando... - YouTube Menina brincando de pony MENINAS BRINCANDO - YouTube Meninas brincando de boneca! - YouTube Meninas brincando no quarto! - YouTube A menina brincando de bonecas - YouTube As meninas Brincando de Escolinhas - YouTube Valentina e brinquedos de menina e brincando com maquiagem ... Meninas Brincando com ÁGUA

  1. Meninas brincando - YouTube
  2. Meninas brincando... - YouTube
  3. Menina brincando de pony
  4. MENINAS BRINCANDO - YouTube
  5. Meninas brincando de boneca! - YouTube
  6. Meninas brincando no quarto! - YouTube
  7. A menina brincando de bonecas - YouTube
  8. As meninas Brincando de Escolinhas - YouTube
  9. Valentina e brinquedos de menina e brincando com maquiagem ...
  10. Meninas Brincando com ÁGUA

Mike Tyson Gunning for Knockout In Roy Jones Fight, Responds to George Foreman TMZ Sports - Duration: 1:45. TMZSports Recommended for you. New Se Enscreva -Se No meu Canal Não o de kaillany Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Menina brincando de pony. Comments are turned off. Learn more. Autoplay When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next. Up next Mn Oi gente, tudo bem? Lá vai o meu mais novo vídeo, das minhas menininhas brincando ( mais ou menos ) kkkk. Aproveitem. Valentina аnd Kids Make Up Toys 🔴 REDES SOCIAIS: VALENTINA Maquiagem INSTAGRAM : https://www.instagram.com/valentinaoficial5/ FACEBOOK : https://www.facebook... Gente pra quem ta achando que é pedofilia nao e n pq postei por que elas mando e outra nem uma ta pelada ai elas so quis mostra as brincadeira das infancias ... Isabela e Alice brincando de boneca. Duas irmãs que se divertem de montão! :-) Elas estavam brincando em casa em 2016, com 7 e 4 aninhos. AS MENINAS SE DIVERTINO NO ANO NOVO.